quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Cientistas portugueses na dianteira mundial



Foi criada em Portugal, uma nova forma de tratar doenças sanguíneas que permite tratar patologias graves do sangue, como a síndrome de Hurler, anemia aplástica refractária ou a doença do enxerto contra o hospedeiro, complicação que acontece em metade dos transplantes de medula.

Essa técnica foi criada pelo Instituto Português de Oncologia de Lisboa e pelo Instituto Superior Técnico (fica perto do Espaço Lifestyle), com a participação do Programa MIT Portugal.

Entretanto, Henrique Teotónio, biólogo e coordenador do Grupo de Genética Evolutiva do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), atinge uma posição de conforot e prestígio, ao ser-lhe atribuído pelo European Research Councill, 1,8 milhões de euros, de financiamento garantido durante cinco anos para contratar e comprar material, para descobrir a resposta à pergunta: "Porque a reprodução é como é?"

Alguns exemplos da investigação de ponta que se realiza em Portugal e algumas desses cientistas são nossos alunos e estão nas escolas do Método DeRose e dessa forma concerteza realizam muito mais, com mais concentração, menos stress e menos tempo.
António Pereira

0 comentários: