domingo, 21 de fevereiro de 2010

Sútras - Máximas de lucidez


Desde sempre os Grandes Sábios, usaram frases curtas e concisas para dizerem muita coisa. Isso é o caso do conceito de sútra, no sânscrito.

Sútra, em sânscrito pode significar: 1. literalmente, fio, cordão; 2. aforismo, prosa mnemónica concisa, breve enigmática e sem comentários. Nesse formato está escrita uma grande parte dos textos do Hinduísmo; 3. no SwáSthya existem os sútras, dose de conhecimento desidratado intuídas por DeRose, especialmente na década de 60 e 70 do século XX, publicadas no livro Sútras, máximas de lucidez e êxtase (Ed. Afrontamento / Uni-Yôga), in Léxico de Yôga Antigo, de Lucila Silva


Desse livro apresentamos dois pensamentos de DeRose. O curioso é comparar máximas e conceitos de vários Pensadores, Filósofos, Educadores que em tempos e lugares diferentes expressam de maneira diferente ideias semelhantes, como DeRose, Gandhi e Mandela.

"Busca fora dos livros, dentro de ti." 

"A liberdade é o nosso bem mais precioso. No caso de ter de confrontá-la com a disciplina, se esta violentar aquela, opte pela liberdade."
De Rose, Sútras, máximas de lucidez e êxtase (Ed. Afrontamento / Uni-Yôga)

Por isso, Sútras, máximas de lucidez e êxtase, leva-nos a reflectir e tirar conclusões sobre aquilo que as máximas transmitem e a relação do impacto do  seu significado para nós. Boa reflexão!
António Pereira

3 comentários:

O Blog da Zélia disse...

Querido António, o teu blog está cada vez melhor. Adorei o vídeo do Professor mudei a Unidade. Parabéns a ti pelo teu trabalho, empenho e reconhecimento pelo que tens feito pelo SwáSthya e pelo Método DeRose ao longo destes 30 anos.
Tens uma equipa da qual te podes orgulhar (eu tb felizmente).
Um grande abraço cheio de carinho, estima e admiração

Zélia Couto e Santos

Prof. António Pereira disse...

Obrigado Zélia, pelas tuas palavras e apoio. Conto contigo e com todos, para juntos fazermos ainda mais e melhor! Beijinhos

Pena disse...

Um grande livro, um concentrado de sabedoria, um concentrado onde há tanto para quem consegue ler o que aquelas palavras significam, tendo ate varias interpretações possíveis e correctas! Bonito como a poesia onde cada um pode ver e vê aquilo que precisava de ver nessas palavras que um dia teem um significado e noutro outro, não melhor, não mais correcto mas o que fazia sentido nesse momento!