sábado, 1 de maio de 2010

Caravaggio


Na 4ª feira, dia 28 de Abril fui ver uma exposição em Roma sobre Caravaggio, com obras que não eram expostas todas juntas fazia bastante tempo.

Já tinha ouvido falar deste pintor barroco, mas desconhecia a sua obra e tinha ficado mais curioso por conhecê-la ao tomar conhecimento de um filme sobre a sua vida, com Andy Garcia como protagonista e que passou no cinema no ano passado e que infelizmente não tive oportunidade de ver, mas espero poder vê-lo agora em DVD.


Caravaggio nasceu em Milão, em 29 de Setembro de 1571, sendo o seu nome completo Michelangelo Merisi da Caravaggio e tornou-se num importante pintor italiano do final do séc. XVI e início do séc. XVII.


Foi aprendiz do pintor Simone Peterzano e trabalhou em Roma entre 1592 e 1594 no atelier de Giuseppe Cesari, para depois investir na sua carreira através de influências nos altos escalões artísticos e culturais de Roma.

Nesse ano faz a sua primeira grande obra: Os jogadores de Cartas e no início do séc. XVII era já um pintor famoso em Roma, tendo realizado a decoração de várias capelas, igrejas e catedrais de Roma, Nápoles e Malta.


Porém, em 1606 numa briga acabou por matar um jovem, um comportamento que se tornou como uma marca, a irascibilidade e vontade de entrar em lutas e confusões. Esse acontecimento teve como consequência a sua fuga para Malta, de onde foi expulso devido precisamente a essa sua tendência conflituosa, tendo ido morar na Sicília. Somente em 1607 retornou a a Nápoles, após ter obtido o perdão do Papa Paulo V. 


A sua pintura caracterizava-se por utilizar como modelos pessoas comuns das ruas de Roma e por um forte realismo. Para isso pintava o fundo das obras de cores escuras, para usar efeitos de sombras e luzes, realçando a imagem dos rostos dos personagens.


Caravaggio foi um pintor mal visto durante grande parte da sua vida, a quem se atribuiu comportamentos  homossexuais que nunca foram confirmados, antes suspeitando-se de boatos e difamações criadas pelos seus opositores para denegrirem o seu trabalho, visto ter tido sempre grandes mecenas.

Morreu com febre em 1610, com 39 anos, em Porto Ercole, na Toscânia e somente mais tarde o seu trabalho veio a ser reconhecido por outros pintores e estudiosos, devido à sua técnica de luzes e sombras. Enfim, mais um génio que em vida não viu reconhecido o seu real valor!

Quem visitar Roma até 13 de Junho, não perca esta exposição que tem tido enchentes todos os dias, desejando que tenha sorte na obtenção do ingresso. 
António Pereira

0 comentários: