domingo, 23 de maio de 2010

Vontade de ganhar e de ir mais além


Ter a capacidade e a vontade ganhadora faz a grande diferença entre um vencedor e um perdedor. 

Para se ganhar e vencer tem de se fazer a preparação, o trabalho de casa que leva tempo, adquirir experiência com os melhores, aprender com os fracassos que surjam no caminho sem desistir, investir na formação e no treino, delinear objectivos e trabalhar arduamente por eles sem vacilar perante as dificuldades até se conseguir alcançar o desejado e planeado inicialmente. 

Portugal precisava de ter mais pessoas assim, mas ele é um exemplo do melhor que podemos ser portando a ambição dos nossos ancestrais Descobridores.

“Sou um dos três treinadores que ganharam a Liga dos Campeões com duas equipas diferentes. Agora, quero ser o único a ganhar com três clubes diferentes...” José Mourinho, melhor treinador do mundo e provavelmente o futuro treinador do Real Madrid


Mourinho ganhou este ano com o Inter de Milão, a Taça de Itália, o campeonato italiano (o 2º campeonato) e a Champions.


O Inter somente tinha ganho a Champions em 1964 e 1965, tendo como treinador o argentino Helenio Herrera que foi um dos primeiros a chamar 12.º jogador aos espectadores e que um dia suspendeu um jogador por dizer “viemos aqui jogar” em vez de “viemos aqui ganhar”, revelando o seu espírito ganhador com que queria contagiar e motivar toda a equipa.

Da boca de Herrera saiu a frase “Quem não dá tudo, não dá nada”, a qual bem poderia ter sido dita por José Mourinho.


“Trabalho como um louco, sou honesto, saio de casa às sete da manhã, volto às sete da tarde e não tenho férias. Não vejo problema nenhum em perder um jogo”.  Mourinho é um exemplo de querer sempre mais e melhor e de ir sempre mais além! 

Portugal tem mais pessoas como José Mourinho e Cristiano Ronaldo e não só na área desportiva, mas também na parte cultural, científica, empresarial, etc., como alguns exemplos que tenho deixado aqui no blogue.


Precisamos de nos lembrar todos os dias destes exemplos vivos e de algumas frases do  Hino Nacional "Levantai hoje de novo..." e "Às armas, às armas..." .

Estejam os canhões actualmente disfarçados de crises e dificuldades, como a que o país passa actualmente, esta é uma excelente oportunidade para nos levantarmos de novo e erguer o esplendor deste País para que nos orgulhemos ainda mais e que continuemos a dar excelentes contributos para a Humanidade como sempre demos ao longo da nossa História.
António Pereira

4 comentários:

mariana.abrunhosa disse...

Olá Professor. Sofro de um condicionamento, um paradigma que não me deixa ser orgulhosa pelos portugueses descobridores. Pelo facto, de termos escravizado e massacrado os povos á nossa passagem. E em nome da religião... Gostava de mudar, visto que tanta gente mais sábia pensa o contrário!

Á pouco, fiquei pensativa com a frase do Mourinho, numa reportagem: "Para o ano vou ser campeão novamente.", depois, sorri a pensar: "Ambicioso!", e como esta palavra carrega um peso de negatividade, talvez compreenda porquê, veio-me um pensamento de consolação: "Ambição não é obrigatoriamente algo de mau! Aqui está um bom exemplo."
Obrigada Prof.
Abraço

Cheila Saldanha disse...

Porque "devagar se vai ao longe", as vezes tem-se medo do "quem tudo dá, tudo perde". Esses nomes conhecidos por todos são exemplos vivos de que sempre se consegue erguer uma outra vez.
Com certeza existem também pessoas, não tão conhecidas, mas que também deram o seu contributo.
(Gostei muito deste post!)

Prof. António Pereira disse...

Mariana,

Temos mesmo de mudar os paradigmas, porque tudo é uma questão de óptica. Ser ambioso na devida proporção não tem de ser mau. Em relação aos Descobridores essa é a visão "negra" da coisa, mas e tudo o resto de bom, como ter desvendado mundos e ter ampliado o mundo, entre muitas outras coisas positivas, será o lado bom dessa epopeia. Beijinhos

P.S.- o acento no artigo "a" é à e não á.

Prof. António Pereira disse...

Cheilinha,
Obrigado por teres gostado muito deste post. Eu também gostei muito de o ter escrito. Beijinhos