terça-feira, 27 de julho de 2010

Uma surpresa...


Estava a corrigir o trabalho escrito - Monografia - de uma Monitorada minha, na realidade "emprestada" e no meio dos capítulos surge uma surpresa na forma de um texto fabuloso com o qual me identifiquei completamente. 

Antes de publicar esse texto, deixo aqui um agradecimento especial à Ana Paulo, monitorada da Instª. Mariana Rodrigues, de quem faço as vezes neste momento, por me ter dado a conhecer este texto profundo e carregado de experiência de vida.

Criada a expectativa é a vez de mostrar a surpresa:

“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui
para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam
poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir
assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar
da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos’.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,
minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com
triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!”



                                                                                                 Mário de Andrade

É fabuloso não é! Carregado de sabedoria de vida e experiência e que retrata na essência como me sinto neste momento em muitas coisas. Um texto para reler e voltar várias vezes!
António Pereira

7 comentários:

paula milani disse...

Muito bonito o texto.
A parte das cerejas deixou-me mesmo a pensar...
Beijinhos grandes.
Paula Milani

pimentinha37 disse...

Fabuloso! Apesar de me considerar ainda uma jovem, identifiquei-me profundamente com esse texto, pois o tempo é o que há de mais precioso e valioso. Obrigada pela partilha

Anónimo disse...

...pois é professor, este texto é fabuloso, não me canso de o ler. A nossa experiência de vida ensina-nos isso mesmo..." basta o essencial", gente de verdade, o mais é nada. O mais afasta-nos da nossa " verdade", afasta-nos de nós mesmos.
Deixo um agradecimento ao instrutor Mário Vendas pois foi por ele que conheci este texto.
Beijinhos,
Ana Paulo

Fátima Damas disse...

Está fabuloso, sim! Subscrevo-o. Na totalidade. Obrigada por partilhá-lo connosco. Beijos

Anónimo disse...

Ao ler este texto pensei:Estas palavras deviam ser lidas na abertura do noticiário com o seguinte título: Mensagem urgente para toda a humanidade!
Obrigada por colocá-las no blog,vou ler, reler e espero lembrar-me delas na hora H!!!
Saudações de Portimão :D
Sandra Rodrigues

Piedade Silva disse...

Completa identificação. Fabuloso. Não consigo dizer mais nada, pois, está lá tudo.
Obrigada pela partilha, porque deste modo, conseguimos perceber, mais uma vez, que estamos juntos porque temos muito em comum. E que a força da egrégora se revigora e aumenta beneficiando-nos a todos.
Beijinhos

Pena disse...

Muito bom! Sem rotulo e com conteúdo! :)