segunda-feira, 13 de setembro de 2010

De volta


De volta ao ritmo de trabalho normal, após duas semanas de férias, com praia, passeios, conversas com amigos, um pouco de trabalho e uma viagem relâmpago de Olhão a Sevilha.


Como me tinha esquecido do cabo da máquina fotográfica, não me foi possível ir colocando aqui as fotos que ia tirando durante o período de recarregamento das energias.


A primeira foto é da Ilha do Farol, junto a Olhão, após o pôr-do-sol enquanto aguardava a vinda do barco para me levar para Olhão. As restantes são de Sevilha!


Sevilha tem prédios muito bonitos e com grandes influências árabes, estando grande parte deles muito bem conservados e por isso nos levam a contemplá-los pela sua beleza.
António Pereira

2 comentários:

Susana disse...

Olá Professor,

Deixo-lhe aqui um excerto do livro que estou a ler ("No País das Borboletas", de Nerea Riesco) em que Mariana, uma rapariga nobre, vê Sevilha pela primeira vez e deste modo a descreve ao Rei de Espanha:

"Não é de surpreender que a gente diga que esta cidade é a mais linda de todas as de Espanha, que não tem igual em todo o orbe da terra e que basta dizer Sevilha para dizer as suas grandezas. Tem uma catedral com a torre mais sublime que eu já vi e ouvi contar e do mais alto dela pode-se vislumbrar toda a capital."

Mariana fica alojada na Casa de Pilatos, um palácio que ainda hoje existe e que se pode visitar. Aí faz uma importante descoberta:

"Foi na Casa de Pilatos que me tive de dar conta da existência de diferentes verdades, que as certezas não são as mesmas para todos e que cada um é dono da sua própria realidade."

E o Professor, o que descobriu na sua viagem?

Beijinhos,

Susana

Prof. António Pereira disse...

Olá Susana,

Obrigado pela sugestão de leitura.Vou procurar encontrar e ler. Sevilha é realmente uma cidade lindíssima!
E, como diz a protagonista, na minha viagem pela vida, confirmo que realmente existem várias verdades, dependendo do ângulo donde as observamos e consequentemente também confirmo que as certezas não são as mesmes para todos e cada um é dono da sua própria realidade/verdade. daí ficar difícil ensinar, mas a Missão de um Educador, é ensinar até que alguém compreenda. Beijinhos