sábado, 25 de setembro de 2010

Mudança de paradigma


Quando mudamos de paradigma, tudo volta ao ponto zero! Isso requer humildade, paciência, compreensão e tolerância da parte de todos nós para fazer os reajustes necessários para encontrarmos o caminho ideal. 

Mudemos a nossa atitude, evitando ficar melindrado ou reactivo, antes de reflectirmos bem sobre o que nos está a ser comunicado. 

Se fizermos isso, concerteza que iremos crescer mais como Seres Humanos, Educadores e Profissionais do Método DeRose (releia e medite no texto do Comendador DeRose "Libelo pela Compreensão", no Programa do Curso Básico, págs. 13 e 14, edição brasileira)

Esse é o verdadeiro tapas (auto-superação), conseguir alterar os nossos comportamentos e paradigmas para através do nosso exemplo de transformação, educarmos os outros. 

Sem nos esquecermos de periodicamente fazer o nosso swádhyaya (auto-estudo), para reavaliar o empenho, os insucessos e os sucessos na caminhada para o Autoconhecimento.
António Pereira

1 comentários:

Anónimo disse...

António na sexta tivemos um primeiro gourmet temático, este sobre Design e o Rui Correia, nosso aluno, disse uma coisa muito interessante que penso ser fundamental para a mudança de qualquer paradigma. Compartilho aqui contigo e convosco esse pensamento.

"Devemos estar sensíveis a ouvir, estar atento aos sinais, essa capacidade permite-nos perceber o conjunto e gera uma certa flexibilidade e capacidade de aprender e adaptar mesmo que seja uma ideia completamente contraria à nossa."

Eu em particular gostei muito e acho que tem tudo a ver connosco!
Um forte abraço
Nuno Jacob