segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Viagem a lembranças de outros tempos


Este ano casualmente parece ser o ano de relembrar locais de outros tempos. Aconteceu ressentemente de forma casual, numa ida à praia com os amigos Eduardo Saldanha e Paula Milani.

Devido ao tempo encoberto, acabámos por ir dar um passeio à Arrábida a um local que não visitava fazem quase 30 anos. 


Era um sítio onde costumava ir com os amigos daquela época, para contemplarmos a Natureza, conversar, executar alguns mantras, exercícios respiratórios e meditar.

E as memórias vieram tão reais como naquela altura que foi interessante rever uma parte de mim impregnada naquele local.


Agora que estou no Algarve em casa dos amigos, Nuno Jacob e Flora Marçal, aconteceu algo semelhante de forma muito mais casual.

No sábado passado, de tarde decidimos ir até à praia e a Flora teve a ideia de irmos à Praia Verde, cujo nome na altura não me disse nada, a não ser uma brincaderia sobre a praia ser ecológica.


Porém, à medida que nos dirigíamos para a praia, surgiu-me uma forte lembrança de naquele local ter  vivido momentos muito importantes da minha vida, entre os 14 e os 19 anos.

Lá estava a Praia Verde, bonita como sempre foi, à mesma muito bem frequentada, com alguns bares e restaurantes e sem o Parque de Campismo onde eu ficava com os meus amigos, mas com um condomínio de apartamentos de qualidade superior.


Foram tantos e tão bons momentos que vivi durante vários anos da minha outra juventude que frases vieram com o vento ter ao meu bloco de anotações:

Mergulho profundamente
Nas águas da memória
De outros tempos de juventude.

Sonhos de areia
Construídos sobre ingenuídades
Contemplo deste momento.

Vislumbro os fantasmas 
Presentes neste lugar
Desses outros tempos.

Uma nostalgia sorridente
Enche-me saudavelmente 
Com a saudade 
De um tempo decorrido
Noutra juventude.

Foi uma tarde muito bem passada, a culminar com o jantar num dos restaurantes da Praia Verde, deixando-me uma vontade de voltar mais vezes a esta excelente praia que além de ser muito bonita, tem também como naquela altura, a frequência de pessoas bonitas e cuidadas.
António Pereira

4 comentários:

CARLA SEQUEIRA disse...

adorei rever a praia verde mesmo que seja postais.Que saudades,de tudo da praia verde.Até breve minha PRAIA VERDE!

Nuno Rodrigues disse...

Gostei muito do seu poema, também eu noutros tempos fui protagonista da praia verde.............

Prof. António Pereira disse...

Caro Nuno,
Obrigado por ter gostado do poema e por lhe ter feito retornar em memória à Praia Verde. Quem sabe se noutros tempos, não nos cruzámos por lá.
Espero que continue a visitar este blogue!
Um abraço,
António Pereira

pedro miguel lopes disse...

Bonito poema, tal como como os dias de meninice que lá passei.
Lembro-me da tenda, do self-service, de apanhar conquilhas na maré vazia.