sábado, 18 de dezembro de 2010

Um sonho e mil sensações

Sonhei contigo e apesar do tempo decorrido, algo familiar mantinha-se além das eventuais barreiras criadas durante este período.
A surpresa de voltar a estar junto a ti e ao teu corpo despido e sensual que sinuosamente me catapultava para outro espaço e tempo na forma lânguida de como fazíamos amor. 
As sensações inebriantes sentidas por te tocar novamente e sentir tudo com a mesma força e prazer intensos.
Por entre essas emoções um receio escondido, provavelmente da separação de tempo e das naturais mudanças que tenham sido criadas, pela experiência da vida e o amadurecimento gerado por esta.
Uma saudade nostálgica de outros tempos de prazer, harmonia, estabilidade, alegria e felicidade que transbordávamos quando estávamos juntos,  permaneceu comigo pela manhã num fio de tristeza.
O tempo corrreu, a vida alterou-se, nós mudámos durante os tempos finais e hoje seremos outros, mas essa saudade de tempos de felicidade persistirá sempre no nosso coração e memória pela eternidade.
De tempos em tempos, vens ter comigo, por meio de um sonho semelhante a este acordando-me a memória doutras épocas.
António Pereira

5 comentários:

sandra disse...

Professor, o seu coração é de poeta e as suas palavras fazem sonhar!
Um abraço, Sandra.

Anónimo disse...

"Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar esta pessoa de nossos sonhos e abraçá-la. Sonhe com aquilo que você quiser...A felicidade aparece para aqueles que choram. Para aqueles que se machucam. Para aqueles que buscam e tentam sempre. E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas. O futuro mais brilhante é baseado num passado intensamente vivido. ... A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram uma eternidade." Clarice Lispector

Anónimo disse...

…esqueci-me de assinar…a anónima da mensagem anterior sou eu

Beijinhos
Andreia Fragoeiro

Sofia Reis disse...

Como é belo esse dom de transpormos as nossas sensações num outro lugar e multiplicá-las quando dividimos essa experiência única pelos demais. Bem-haja :) lamento apenas que nem todos consigam ter a coragem de expressar essas sensações universais que nos fazem lembrar o quão efémera é esta vida.

sandra disse...

Eu tinha sonhado consigo!

Beijinho e abraço grande,

Sandra.