quarta-feira, 30 de junho de 2010

Quem se melindra...

"Quem se melindra e briga por tudo e por nada, é portador de complexo de inferioridade." DeRose


Palavras sábias, carregadas de experiência e observação do Filósofo, Educador e escritor Comendador DeRose que nos devem fazer reflectir no sentido de mudar os nossos comportamentos.
António Pereira

terça-feira, 29 de junho de 2010

Nem todos os dias

Existem frases que surgem de dentro da noite e penetram repetidamente na nossa cabeça como um mantra. Foi o que aconteceu na noite de 3ª para 4ª feira e que deixo aqui registado.

Nem todos os dias

Nem todos os dias sei quem sou,
Nem todos os dias quero ser quem sou,
Nem todos os dias procuro aquilo que quero ser,
Porque nem sempre  sei aquilo que procuro,
Nem aquilo que sou.

Nem todos os dias pretendo ser aquilo que sou,
Nem todos os dias procuro aquilo que quero vir a ser,
Porque nem sempre sei quem sou
Ou aquilo que quero ser.

Vejo-me nos outros
Nas pequenas e nas grandes coisas
Encontro um pouco daquilo que sou
Daquilo que quero vir a ser
Daquilo que realmente sou.

Com tudo isso, procuro estar mais perto
Daquilo que virei a ser
Do que pretendo ser
Daquilo que realmente sou.

No fundo do meu ser
Na chispa da minha individualidade
Está o segredo do meu reencontro
Que umas vezes mais do que outras
Procuro encontrar
Para me reencontrar
E ser mais aquilo que realmente Sou.
António Pereira

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Um pequeno conto...

Uma aluna nossa, a Susana Sousa, deixou aqui um comentário com um link, sobre o post em que transcrevi a última mensagem do escritor José Saramago que aproveito para publicar aqui para quem pretende ver esse pequeno filme.



Fica aqui a mensagem em forma de pequeno conto para crianças pequenas e grandes!
António Pereira

Acabei de ler um excelente livro


Acabei de ler o livro A Casa-Comboio, da escritora Raquel Ochoa. Um excelente livro passado na Índia Portuguesa e durante a perda desta, atravessando várias gerações. Recomento vivamente! 

Dele retirei várias frases profundas, interessantes e carregadas de mensagens, as quais  tenho vindo a publicar aqui algumas, para hoje deixar as últimas que retirei desse livro (as minhas desculpas se repetir alguma, mas mesmo assim vale a pena).

"É pela discussão e pelo compromisso que podemos sair todos a ganhar deste impasse."


"Viajar é a melhor forma de compreender quem somos."


"Os momentos são únicos e irrepetíveis - a vida na maioria da vezes é cruel ao ponto de não dar uma segunda oportunidade."


"... sabes o que eu acho que realmente nos faz perder tempo precioso? As pessoas andam sempre à procura, ou antes, atentas, àquilo em que são diferentes das outras, não ao que as une." Raquel Ochoa, in Casa-Comboio

De onde menos esperamos surgem-nos estas coisas, estas palavras, estas ideias, estes pensamentos que nos fazem parar e pensar ou melhor ficar sem pensar e deixar fluir a intuição para encontrar as certezas que coincidem com as mesmas ideias trazidas  das profundezas do nosso Ser.
António Pereira

domingo, 27 de junho de 2010

Um escritor, um pensador, um filósofo...


Ainda sobre Saramago, deixo aqui o último post do seu blogue, inspirado no seu avô Jerónimo que achei de uma beleza e sensibilidade extrema e plenamente carregado da sabedoria da filosofia Sámkhya.

"Que significado terá o zumbido das abelhas no interior da colmeia? Serve-lhe para se comunicarem umas com as outras? Ou é um simples efeito da natureza, a mera consequência de se estar vivo, sem prévia consciência nem intenção, como uma macieira dá maçãs sem ter que preocupar-se se alguém virá ou não comê-las? E nós? Falamos pela mesma razão que transpiramos? Apenas porque sim? O suor evapora-se, lava-se, desaparece, mais tarde ou mais cedo chegará às nuvens. E as palavras? Aonde vão? Quantas permanecem? Por quanto tempo? E, finalmente, para quê? São perguntas ociosas, bem o sei, próprias de quem cumpre 86 anos. Ou talvez não tão ociosas assim se penso que o meu avô Jerónimo, nas suas últimas horas, se foi despedir das árvores que havia plantado, abraçando-as e chorando porque sabia que não voltaria a vê-las. A lição é boa. Abraço-me pois às palavras que escrevi, desejo-lhes longa vida e recomeço a escrita no ponto em que tinha parado. Não há outra resposta."
"Pilar encontramo-nos noutro sítio."

São palavras carregadas de tudo, plenas de simplicidade e conteúdo que nos levam a reflectir sobre a vida e o momento da morte, o amor, o desapego e a natureza das coisas e da própria Natureza.
António Pereira

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Sonhar o sonho impossivel...

Deixo aqui um poema que me enviaram hoje, retirado do D. Quixote, de Miguel Cervantes, sobre sonhar o impossível:

Sonhar o sonho impossivel...

Sonhar o sonho impossível, 
Sofrer a angústia implacável, 
Pisar onde os bravos não ousam, 
Reparar o mal irreparável, 
Amar um amor casto à distância, 
Enfrentar o inimigo invencível, 
Tentar quando as forças se esvaem, 
Alcançar a estrela inatingível: 
Essa é a minha busca... 


                             Dom Quixote 

António Pereira

terça-feira, 22 de junho de 2010

Os portugueses no mundo


É bom ler, escutar e sentir aquilo que nós portugueses impregnamos sobre o mundo. No Goa, Daughter's Story, de Maria Aurora Couto vem referido o seguinte:

"Os portugueses, contudo, deixaram a sua alma que paira." 

Como nós deixamos em tudo a nossa marca, porque deixamos a nossa alma em tudo.

E no livro a Casa-Comboio, da Raquel Ochoa que acabei de ler e recomendo, tem um parágrafo muito interessante sobre a impressão que os portugueses deixam no mundo.

"O português é genial nesse aspecto, por onde passa deixa uma presença que pôde contribuir para a melhoria da terra como a passagem de uma borboleta. É de uma beleza inesquecível, paira e esvoaça, mas não consegue modificar um ecossistema."

Assim, somos nós com a nossa marca e presença magnética que influenciou a cultural mundial ao desbravar mundos e levar uma cultural universalista.
António Pereira

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Levantai-vos hoje de novo...


E hoje, levantaram-se muito os jogadores de Portugal, ao golearem por 7 a 0 a Coreia do Norte. Agora é manter a moral elevada e esta perfomance que constituiu o melhor jogo até hoje deste Mundial de Futebol 2010, na África do Sul e receber com o mesmo ânimo o Brasil e seguintes equipas, até à Vitória final! A jogar assim, tudo é possível!
António Pereira

Homenagem a um grande escritor português


Quero deixar aqui a minha homenagem a um grande português, a um grande escritor, que partiu para outros planos do Universo, o Prémio Nobel da Literatura de 1998, José Saramago que projectou o nome de Portugal com a sua obra, tal como Camões e Fernando Pessoa e outros ao mais alto nível que o nosso país merece pela sua História e espólio cultural.


José Saramago tem uma vasta obra literária e foi o primeiro escritor português a receber o Prémio Nobel da Literatura.


A sua memória ficará eternamente presente através da sua obra literária, das peças de teatro e do filme poderoso que tem o mesmo nome do livro Ensaio sobre a Cegueira e que foi magistralmente adaptado e filmado pelo realizador brasileiro Fernando Meirelles.
António Pereira

quinta-feira, 17 de junho de 2010

O conceito de Shaktí e Shakta


Na tradição da Filosofia comportamental de seu nome Tantra, que dá fundamentação a alguns dos conceitos do Método DeRose, existe o conceito de Shaktí.

Shaktí segundo o Léxico de Yôga Antigo (SwáSthya Yôga Kôsha) da nossa colega Lucila Silva pode significar:

1. Energia, força; 2. provém da raiz shak que significa ser capaz, ser possível. Portanto, pode significar poder, capacidade, habilidade; 3. esposa ou companheira no sádhana tântrico; 4. é também um nome ou qualidade da Mãe Divina e, consequentemente, pode designar a kundaliní; 5. dá nome a um drishti que consiste na fixação do olhar nos olhos da parceira tântrica; 6. nome de um ásana de flexão anterior da coluna vertebral.

O seu correspondente masculino é Shakta que de acordo com o mesmo livro é:

1. O devoto da Shaktí; 2. o companheiro no sádhana tântrico; 3. marido, esposo; 4. dá nome a um drishti que consiste na fixação do olhar nos olhos do parceiro tântrico.

Uma ideia vaga sobre o que a shaktí pode produzir no shakta e vice-versa é contemplada na frase extraída do livro Casa-Comboio:


"Na sua vida havia um vazio a ser preenchido com impulso, inspiração e sinceridade. Por sua causa, sentia-se agora um homem vulnerável, e só com ela ao seu lado poderia recuperar a sua autoconfiança." Raquel Ochoa

Porém, muito mais se pode dizer sobre a importância da influência inspiradora da relação Shiva-Shaktí que noutra altura voltaremos a discorrer.
António Pereira

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Nas minhas leituras


Nas minhas leituras, encontro frases e pensamentos que me surpreendem pela positiva e me levam a reflectir como tudo pode estar ligado se estivermos sintonizados com o Conhecimento e a Sabedoria que a Vida nos apresenta em tudo.

"Poder, mais que influência, é consciência de missão."

"Típico de quem fala muito é pouco fazer, por isso mais vale fazer antes de falar."

"O tempo que se perde na discussão teórica dos problemas."

"Adorem menos o Deus das funestas vindimas e abandonem a vida sedentária, passem mais à prática e terão mais saúde, bem como resultados contabilizados."

"Rudolfo era forte e livre, com uma tendência natural para liderar. Quando delineava um objectivo não descansava até ter dado o seu melhor para o atingir. Talvez por isso outros o achassem demasiado directo e assertivo, mas empolgava-se com tudo o que era novo, tudo o que era original."

"É pela discussão e pelo compromisso que podemos sair todos a ganhar..." in Casa-Comboio, de Raquel Ochoa

Frases e ideias sobre poder, bazófia, pragmatismo, liberdade, liderança e diplomacia, são alguns dos conceitos que retiramos destas frases extraídas de um romance passado na antiga Índia Portuguesa e durante a sua perda, atravessando várias gerações de pessoas.
António Pereira

terça-feira, 15 de junho de 2010

Bio-energia


De onde menos se espera surge-nos algo coerente com aquilo que vivemos, defendemos e pretendemos ser. Uma definição límpida, cristalina, simples e científica sobre o que é o Prána, a bio-energia que o Método DeRose, menciona na sua parte Técnica e nos Conceitos surgiu-me num romance que estava a ler.

O Prána, é uma energia de origem solar, sem a qual não poderíamos estar vivos e ter energia, sendo uma bio-energia que se sub-divide em cinco. 

Li recentemente o livro/romance "Sétimo Selo" do José Rodrigues dos Santos no qual tem ums definição fabulástica do que é o prána e da sua importância para a vida e o funcionamento saudável do corpo, a qual deixo aqui em vários trechos que interliguei para ficar mais compreensível:


"O calor do corpo vem da energia solar contida nos alimentos? - admirou-se o russo. 

- Sim é isso. Mas esta energia do Sol, libertada pelo hidrogénio contido nos alimentos não assume a forma de calor. Também assume outras formas, como a energia eléctrica ou a energia mecânica ou a energia química. 

É, portanto o que nos dá força. A energia do nosso corpo vem, da energia do Sol, armazenada no hidrogénio."   in Sétimo Selo, de José Rodrigues dos Santos

Assim, se alarga os horizontes e encontram-se pontes de contacto!
António Pereira

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Elegância...

Alguém disse que a elegância é uma questão de atitude, só não tenho a certeza se foi Coco Chanel ou Éstee Lauder. 

Essa elegância deve transparecer em tudo, inclusivé nos impressos, documentos e apresentações em multimédia (Power Point é para quem não conhece o Keynotes da Mac, muito superior ao programa mencionado anteriormente).

Deixo aqui um exemplo de posicionamento de marca, como entre a diferença entre a Mac e a Microsoft, retirado do blogue do Comendador e escritor DeRose.

">

Sugiro que se veja e reveja!
António Pereira

Como tudo começa...

“Para conseguir grandes coisas, temos que ter primeiro um sonho.” Coco Chanel

Um dia muito importante!


O dia 10 de Junho é um dia muito importante para mim, não só porque é o dia de Portugal, dia de Camões e das Comunidades Portuguesas, mas principalmente porque é o dia do meu nascimento.

A 10 de Junho de 1961 nasci em Lisboa, fruto do casamento e da relação amorosa de um Delegado de Propaganda Médica e estudante de Medicina e de uma doméstica que tocava piano.


Estive quase para me chamar Luis, por causa de ter nascido no dia do grande poeta Luis Vaz de Camões. Nessa altura já tinha uma irmã mais velha 6 anos e muito mais tarde surgiu o irmão mais novo, passando eu a ser o do meio.

Particularmente neste 10 de Junho do meu 49º Aniversário, passei um dia descontraído e bem passado que teve o seu pico num pequeno jantar com alguns dos amigos que vivem em Lisboa e com os restantes que vivem mais longe, dentro do meu coração e com a memória a encurtar a distância.

A um ano de fazer meio século e num período de grandes reflexões sobre mim, a vida, etc. relembro um poema que escrevi em 1998 se não me engano.

Quero Mais

Quero mais do que Estar aqui
Quero a verdadeira União
Que só o Yôga nos proporciona
E sentir que a pele
É o território mais sedoso
E energético que o Ser Humano tem a redescobrir.

Quero o Amor
Sentido nos olhos e no coração
Que me dá a sensação de fusão em luz.

Quero viver com o todo, o Ser,
Com todos os sentidos
Em embriaguez de Autoconhecimento.

Vagueio no mundo dos Sonhos,
Por entre a neblina da noite dos pensamentos.

Procuro descobrir a Verdade dentro de mim
E conhecer a razão e o sentido das coisas
Para compreender tudo aquilo que É
Conhecido e Desconhecido.
António Pereira

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Lisboa à frente de Madrid, New York e Roma


Na tabela Worldwide Quality of Living Survey, Lisboa aparece à frente de Madrid, Nova Iorque e Roma em termos das cidades com melhor qualidade de vida.

Neste ranking mundial das cidades com melhor qualidade de vida, Lisboa aparece na 45º posição. Neste estudo as cidades foram avaliadas segundo 39 critérios, entre os quais factores económicos, sociais, políticos, segurança, cuidados médicos, transportes públicos, habitação ou entretenimento. Parabéns à nossa capital e a todos os lisboetas!
António Pereira

segunda-feira, 7 de junho de 2010

E por fim...


Por fim, ontem dei o último curso em S. Paulo que foi de Yôganidrá e aconteceu na Unidade Ibirapuera do simpático Daniel Borges, director dessa Unidade e Membro do Conselho Administrativo do Método DeRose.


Correu muito bem, tão bem que nos esquecemos de tirar uma foto do grupo. Bastantes alunos e Instrutores e depois um almoço de convívio, no Insalata, na Alameda Campinas, com a Mariana Rodrigues, o Daniel Borges, a Gi Setti, a Bianca e a Teresa. Foi muito agradável, divertido e simpático! Gostei muito! Como dizem por aqui: "Adôrei!!


Daí a pouco irei para o aeroporto de Guarulhos para apanhar o voo da TAP, das 23:30 para Lisboa, mas antes terei de passar na Livraria Cultura para ir levantar um livro que encomendei.

Na terça-feira já estarei em Lisboa e em vésperas de comemorar os meus 49 anos. Estou a ficar crescidinho!
António Pereira

sábado, 5 de junho de 2010

Poder...


Numa leitura de um romance passado na Índia Portuguesa e em Portugal, descobri algumas frases bem interessantes.

"Poder mais que influência, é consciência da missão." 

"Típico de quem fala muito é pouco fazer, por isso mais vale fazer antes de falar." in A Casa-Comboio, de Raquel Ochoa

Bonito e ao mesmo tempo profundo!
António Pereira

Um Curso, uma aprendizagem!


Ontem dei o segundo curso neste périplo por S. Paulo. O Curso de Reprogramação Emocional e Mentalização ocorreu na Unidade Anália Franco, onde um ambiente descontraído, leve e divertido me recebeu.

Foi um prazer e uma aprendizagem para mim ter dado este Curso. Além de me ter divertido, aprendi muito com aquilo que cada pessoa foi dizendo e com a troca de impressões. Infelizmente esqueci-me de tirar uma foto de grupo para poder colocar aqui, pelo que fica para uma outra oportunidade que concerteza irá acontecer no futuro.

O meu agradecimento especial a toda a equipa de Instrutores e alunos participantes da Unidade Anália Franco por terem proporcionado a ocorrência deste curso. Até à próxima!
António Pereira

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Nunca é tarde demais


Uma grande voz e uma humildade humilhante, demonstram como nunca é tarde demais para se ir atrás dos sonhos.

Delicie-se e emocione-se com esta preciosidade

http://www.youtube.com/watch?v=lPedEAVkXjY


Impressionante, no mínimo!


                                                                                                       António Pereira
António Pereira
António Pereira

Cursos em S. Paulo - Junho 2010


Ontem dei o primeiro dos 3 Cursos que tenho marcados em Unidades do Método DeRose, de S. Paulo - Brasil.

O Curso de Sensibilidade e Autoconhecimento, ocorreu na Unidade Higienópolis, dirigida pela Instrutora Gisele Setti que é membro do Conselho Administrativo do Método DeRose.

Diverti-me imenso a dar este Curso e pelo brilho no olhar dos alunos e instrutores no final, senti que também se divertiram e assim a missão foi cumprida.


Agora o próximo será 6ª feira, de Reprogramação Emocional, na Unidade Anália Franco, que tem como Directora a Instrutora Patrícia Mezzomo e por último, no domingo o Curso de Yôganidrá - Técnicas de Descontração, na Unidade Ibirapuera, sendo o seu Director o Instrutor Daniel Borges, do Conselho Administrativo do Método DeRose. Logo teremos mais novidades sobre os Cursos!
António Pereira