quinta-feira, 29 de julho de 2010

Bem-vindo...


Ontem 5ª feira, dia 29 de Julho, nasceu o Lucas, filho desejado da minha Grande Amiga Catarina Candeias.

O Lucas nasceu em Lisboa, às 16:46, com 3,150Kgs, após ter dado uma árdua luta de trabalho de parto à sua mãe, mesmo com muitos pránáyámas (técnicas respiratórias do Método DeRose) e mentalizações, foi uma entrada difícil na Vida. 

Porém, tudo correu da melhor forma após umas extenuantes horas de espera para ele surgir neste mundo, em que o calor sentido ontem parecia ainda dificultar mais a espera desesperante da boa nova e de podermos vê-lo.

Finalmente a nossa amiga Graça Peralta que acompanhou e apoiou a Catarina de perto, apresentou-nos o Lucas por uma janela da Maternidade que tem esse propósito. 

Para lhe dar os parabéns de chegada a este mundo e porque sei que é uma música que a sua mãe, Catarina, gosta particularmente deixo aqui com votos de uma vida muito longa, feliz, cheia de saúde, amor, energia e sucessos.



Um grande bem-vindo Lucas, do teu Tio!
António Pereira

terça-feira, 27 de julho de 2010

Uma surpresa...


Estava a corrigir o trabalho escrito - Monografia - de uma Monitorada minha, na realidade "emprestada" e no meio dos capítulos surge uma surpresa na forma de um texto fabuloso com o qual me identifiquei completamente. 

Antes de publicar esse texto, deixo aqui um agradecimento especial à Ana Paulo, monitorada da Instª. Mariana Rodrigues, de quem faço as vezes neste momento, por me ter dado a conhecer este texto profundo e carregado de experiência de vida.

Criada a expectativa é a vez de mostrar a surpresa:

“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui
para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam
poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir
assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar
da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos’.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,
minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com
triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!”



                                                                                                 Mário de Andrade

É fabuloso não é! Carregado de sabedoria de vida e experiência e que retrata na essência como me sinto neste momento em muitas coisas. Um texto para reler e voltar várias vezes!
António Pereira

Recordações passadas e futuras


Era um grupo de pessoas com bom aspecto e gosto que observava enquanto se abstraía do burburinho de fundo, do som monótono e constante que o transportava para recordações de outros tempos recentes. Já não eram aquelas pessoas que se encontravam à sua frente, mas outras suas conhecidas e algumas amigas que surgiam como fantasmas de memórias agradáveis, misturadas com uma emoção doce de nostalgia e alguma suave tristeza.

Ele já não era a mesma pessoa, mas algo desse tempo residia guardado no seu íntimo à procura da solução para melhor juntar esses bocados de si dispersos por esse tempo feliz do passado, de forma a poder sentir o presente e preparar um futuro ainda mais feliz, leve e estável.

De repente, vindo não se sabe de onde, outra imagem agora do presente rompeu por essa divagação e um sorriso pensativo esculpiu-se no seu rosto, encantado pela beleza e suavidade que lhe apareciam nos olhos da mente, enquanto num outro lado de si a imagem da juventude imaculada em beleza pura traziam-lhe frescura, alegria e um sentimento inexplicável de eternidade e de um não sei quê, do que virá ou poderá vir a ser, mas sempre com essa sensação de ligação.


Sem avisar, essa eternidade de paragem do tempo, trouxe-o numa viagem ao momento presente e lá estavam aquelas pessoas e o burburinho que geraram o click para essa pequena travessia que pareceu um sonho acordado. Contudo, ao sair daquele local algo veio consigo, flutuando na sua cabeça em sensações que lhe permaneceram pela noite dentro e que não sabia o que havia de fazer com elas, mas que faziam parte de si e por isso não as poderia deitar fora, no máximo talvez adocicar essa sensação para se fortalecer com a sua experiência. 

Foi uma decisão sábia por que o iria fortalecer ainda mais e prepará-lo para conviver mais saudavelmente com essas recordações e tornar o seu presente ainda mais leve. Pensou nisso e sorriu, sentindo que o futuro seria sorridente.
António Pereira

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Dentro de um forno


Aquele bafo quente sopra e envolve tudo e todos, com a sua modorna que nos deixa moles com o cérebro meio parado e a as ideias a surgirem muuuiiitoo lennntaaamennte  por que tudo é um esforço sobre-humano.

Olhamos em várias direcções para ver se encontramos as paredes donde provém esse calor infernal, mas não tem paredes este forno, o calor surge de todos os lados. A nossa salvação é a água, os sumos fresquinhos e os banhos refrescantes, porque até o vento é abrasador e necessitamos de nos hidratar para que o cérebro volte a funcionar normalmente e consigamos produzir alguma coisa de jeito e a uma velocidade normal, pelo menos.

Estas são sensações e ideias de um dia dentro de um forno.
António Pereira

sexta-feira, 23 de julho de 2010

DeRose Festival Lisboa 2010


Infelizmente tenho de informar que devido a situações imprevistas o DeRose Festival 2010, teve de ser adiado para uma nova data a anunciar brevemente, mas que não deverá ser em 2010. 

Logo que tenhamos informações mais precisas comunicaremos aqui no blogue e nas Escolas do Método DeRose. A todos os interessados em participar neste evento as nossas desculpas!
António Pereira

Excesso

Devido a uma sobrecarga de trabalho, fruto da reorganização da Federação, não me tem sido possível colocar posts aqui no blogue com a frequência e regularidade que gostaria. Espero brevemente poder voltar  a essa regularidade. Até já!
António Pereira

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Um fim-de-semana bem passado no Algarve


Tive um fim-de-semana muito bem passado no Algarve, onde me desloquei para dar uma Força à iniciativa do Espaço Faro - Método DeRose, de participação na acção de Solidariedade para com a  AAPACDM (Associação Algarvia de Pais e Amigos de Crianças Diminuídas Mentais) e na sua Festa de Verão.

Na 6ª feira, o Método DeRose, por iniciativa da sua Escola de Faro, participou com Coreografias muito bem executadas pelos Demonstradores e com a actuação da Banda Sankalpa, a qual está com um grande som e uma actuação profissionalíssima. 

Foram momentos emociantes vermos o trabalho feito com tanta dedicação e esforço pelos pais e funcionários da referida Associação e por termos dado um singelo apoio com a nossa participação profissional, humana e carinhosa. 


O instrutor Nuno Jacob, Espaço Faro - Método DeRose e a sua equipa estão de parabéns por esta iniciativa e pela excelente Festa de Verão realizada numa Quinta com todas as comodidades, alimentação de qualidade, música boa e excelente ambiente de convívio.


Para coroar o fim-de-semana passámos um domingo espectacular na praia da ilha do Farol na companhia de colegas e amigos. Conversa animada, momentos de pura descontração, Sol, ar, banhos de mar, saudável convívio, muitas gargalhadas e comida fizeram as delícias do dia. Espero que possamos repetir mais vezes!
António Pereira 

terça-feira, 13 de julho de 2010

DeRose Festival Lisboa 2010


Estamos a aproximarmo-nos da data do DeRose Festival Lisboa 2010 que será nos dias 17, 18 e 19 de Setembro num local espectacular, com um ambiente fantástico e acolhedor, uma alimentação soberba, uma programação fenomenal com excelentes ministrantes e uma vista panorâmica de nos deixar embevecidos. 

Eu estarei presente e gostava de poder contar com a presença de muitos e bons amigos, alunos e instrutores do Método DeRose. Ao longo destes meses iremos desvendando o segredo e daremos mais informação. 

Vamos ao DeRose Festival Lisboa 2010? Eu vou!
António Pereira

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Há gestos gestos


Nesta sexta-feira, dia 16 de Julho, às 19h, no Espaço Lifestyle, iremos ter um Curso de Mudrá, uma das partes técnicas do Método DeRose. O curso é aberto a alunos, convidados destes e interessados externos.

O Auto-conhecimento é uma tela interior pintada por pequenas conquistas, por isso o Espaço Lifestyle lança um desafio: uma viagem pelo interior do Ser Humano conduzida pela sensibilidade e pela beleza...através das suas Mãos! 

As mãos são poderosas ferramentas de edificação da civilização. O Homem só se distanciou dos restantes animais, dominou a Natureza, adquiriu tecnologia, criou a arte, constituiu a civilização porque tinha ...Mãos!

Mergulhe pelas teias internas através de uma técnica subtil e extremamente poderosa: Mudrá! Esta  é uma das ferramentas técnicas do nosso Método que estuda e aplica os resultados sobre o psiquismo e, por consequência, sobre o corpo físico.

Para conduzir este desafio convidámos a Professora Zélia Couto e Santos, que tem desenvolvido um trabalho profundo nesta área.  Participe e enriqueça-se culturalmente!
António Pereira

domingo, 11 de julho de 2010

Por ser extremamente importante

Por ser extremamente importante transcrevo aqui um post retirado na íntegra do blogue do Comendador DeRose. Mesmo que já tenha lido o texto e visto o filme vale a pena repetir a leitura e o visionamento.

"Mestre,
Envio um texto que recebi de uma amiga que exemplifica bem a importância da “etiqueta” que precisamos associar ao “luxo” que é praticar o Método DeRose:
Abraço com saudade!
José Afonso
“O tipo desce na estação de metro vestindo jeans, t-shirt e boné, encosta-se próximo à entrada, tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora rush matinal.
Durante os 45 minutos que tocou, foi praticamente ignorado pelos transeuntes, ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares.
Alguns dias antes Bell tinha tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custam a ‘bagatela’ de 1000 dólares.
A experiência, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar rápido, copo de café na mão, telemóvel ao ouvido, crachá balançando no pescoço, indiferentes ao som do violino. A iniciativa realizada pelo jornal The Washington Post era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte.
Conclusão: estamos acostumados a dar valor às coisas quando estão num contexto.
Bell era uma obra de arte sem moldura. Um artefacto de luxo sem etiqueta de glamour.
Somente uma mulher reconheceu a música…”
O vídeo da apresentação no metro está no You Tube:



Oi, Zé. Obrigado, obrigado mesmo, por essa contribuição. Não sei por que, mas estou com os olhos marejados de lágrimas. Será que é por lástima solidária por aqueles que já ouvi tantas vezes tocando seus violinos no metrô de Paris, verdadeiros artistas, e ninguém ligava a mínima, deixando-os lá com fome e frio? Será que é por me identificar com essa situação, por haver mostrado ao mundo um trabalho sério e excelente, mas ter sido ignorado e até destratado por não ter tido dinheiro para portar boas roupas ou para ter amigos influentes durante quase toda a minha vida? Não sei. Mas sei que este texto e este vídeo precisam ser conhecidos por todos. E esperemos que compreendam. Que compreendam duas coisas.
1) Primeiro, o que está já mencionado, que precisamos valorizar as pessoas pelo que elas são e não pelo que aparentam. Que precisamos ter menos preconceito e discriminar menos as pessoas por ser jovens ou por ser humildes. Que precisamos dar uma chance aos que se esforçam tanto por um grama de reconhecimento, por uma oportunidade na vida.
2) E que compreendam o quanto é preciso valorizar algo a que nós brasileiros raramente conferimos o devido valor: a importância do protocolo, do cerimonial e do rito. Isso inclui a “embalagem” adequada para sermos aceitos, pois você jamais encontrará um conteúdo bom em uma embalagem ordinária ou de mau-gosto. O contrário sim, para ludibriar. Mas um bom produto está sempre em uma boa roupagem. E não é só o envoltório. É o rapport. É o ritual. É o protocolo.
É muito difícil explicar isto em palavras. É preciso ter passado pela experiência, sucessivas vezes, sucessivas exclusões, sucessivas execrações, para um dia, quiçá, lá pelos sessenta anos, perceber o que tudo isso significa. Mas seria tão bom se eu pudesse ajudar você a perceber isso mais cedo!"      DeRose
Que saibamos ter sempre o bom-senso de não discriminar ninguém, nem desenvolver preconceitos!
António Pereira

Tradições...

Existem tradições e tradições...



Fica aqui este filme para abrir outras mentes e derrubar outros paradigmas!

António Pereira

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Existem dias assim

Existem dias em que queremos escrever e não nos sai nada de inspirador, nada de jeito. Talvez seja do calor e/ou do manancial de coisas que se tem para fazer que nem sabemos por onde começar.

Existem dias assim para todos nós, seja com a escrita ou com as outras coisas que temos ou gostamos de fazer, algo sempre se coloca na frente e não nos deixa a cabeça descontraída e leve, para deixar a inspiração sobressair.

Nesses dias só nos resta insistir um pouco ou deixar simplesmente correr o dia, para que no amanhã as coisas estejam mais fluídas, leves e inspiradoras. No meio disso, algumas ideias convivém sobre alguns assuntos, na nossa cabeça até terem maturidade para serem auto-suficientes fora de nós.

Com isso também aprendemos que a vida é feita de Picos e Vales, nome de um livrinho extremamente interessante do Dr. Spencer Johnson, autor do best-seller Quem mexeu no meu queijo e dessa maneira podemos tirar sempre os significados dos altos e baixos, para que tenhamos cada vez mais altos e menos baixos.
António Pereira

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Uma ideia de forno...

Se alguma vez pudéssemos ter uma pequena ideia do que é estar dentro de um forno, isso foi-nos desvendado hoje, com o bafo quente e abrasador que está em todas as ruas. Hoje está um daqueles dias de calor que nos faz parecer ter o cérebro em funcionamento lento e pouco atento.

Um dia quente, um dia de forno que não dá para escrever mais...
António Pereira