sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Bom Ano Novo de 2011!

Bom Ano Novo de 2011

Desejo a todos os amigos, colegas, conhecidos ou desconhecidos que lêem este Blogue, um Bom Ano Novo de 2011 repleto de saúde, amizade, felicidade, carinho, estabilidade, alegria, amor, concretização dos seus sonhos e uma maior prosperidade.

Espero também que em 2011 possamos comunicar ainda mais, trocar ideias e receber ainda mais os  comentários e sugestões de cada leitor, sobre este Blogue, as Ideias e Conceitos aqui veiculados.
António Pereira

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Sobre a vagina - um tema tabú


Muita gente ainda hoje na sociedade ocidental tem tabú em falar sobre a vagina, particularmente as mulheres e pasme-se, entre aquelas que se dizem bem informadas, por terem mais cultura e verem séries e filmes como O sexo e a cidade, mas que desconhecem a fisiologia do seu orgão sexual - a vagina.

Sobre este assunto sugiro a leitura de um artigo, publicado no jornal Público online, acerca do desconhecimento e resistência a um melhor conhecimento do funcionamento da vagina, por parte das mulheres, de alguns membros da classe médica e, claro da maioria dos homens.

http://www.publico.pt/Sociedade/a-medicina-ainda-fala-pouco-da-vagina_1472646

No minímo, é cultura geral que nos enriquece, sejamos mulheres ou homens.
António Pereira

Livros que nos tocam


Existem pequenos livros em número de páginas, mas que são tão grandes por aquilo que nos tocam lá no fundo.

Deles extraímos partes de nós em cada página que lemos, relatando partes da nossa vida, exposta de forma tão intensa que nos deixa meio enfeitiçados, meio atordoados com tanta identificação com uma certa quantidade de frases e textos que vão ao nosso âmago.

Acabei de ler um desses livros No teu deserto, de Miguel Sousa Tavares, o qual logo nas "orelhas" da capa tem uma frase arrasadora: 

"Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer."

Depois dentro dele tem mais coisas como:

"Mesmo a desordem necessita de uma ordem que lhe dê um sentido para que não seja apenas leviandade."


E, sobre as regras de funcionamento do mundo árabe:

"A regra principal é: nada tem uma solução definitiva e não há nada que não tenha algum tipo de solução provisória. É um pouco como dizem da vida os que sabem viver, adaptando-se."

"Não há problema sem solução. E, quando não há solução para o problema, deixa de haver problema e resta só a solução..."

Nunca estive no deserto, mas é um dos locais onde gostava de um dia poder ir e estar durante pelo menos algumas horas. Sobre essa região inóspita o livro diz-nos o seguinte:

"Na verdade, o deserto não existe: se tudo à sua volta deixa de existir e de ter sentido, só resta o nada. E o nada é o nada: conforme se olha, é a ausência de tudo, ou, pelo contrário, o absoluto."


Muito se fala hoje sem se dizer nada, como o sketch dos Gato Fedorento retrata e sobre isso este livro fala muito:

"Tudo o que se diz de desnecessário é estúpido, é um sinal destes tempos estúpidos em que falamos mais do que entendemos."

Sobre a forma e o modo de olharmos as coisas e as pessoas:

"Aprendi em que é preciso dar tempo aos outros para olharem."

"... há alturas em que a beleza é tão devastadora que magoa."

"- A terra pertence ao dono, mas a paisagem pertence a quem sabe olhar."


Sobre nós portugueses e a nossa atracção por andar por aí, pelo mundo fora:

"Somos portugueses: há quinhentos anos que andamos por toda a parte e conseguimos sempre voltar a casa."

O silêncio é algo tão mal entendido hoje em dia e desconfortável para a maior parte das pessoas, excepto para algumas que sabem que ele diz mais do que parece. Para muita gente é sinal de:

"Para mim, o silêncio era sinal de distância, de mal-estar, de desentendimento."


Porém, o silêncio é poderoso naquilo que nos informa sobre os outros e sobre a sociedade actual cheia de ruído:

"A coisa mais difícil e mais bonita de partilhar entre duas pessoas é o silêncio."

"Todos têm terror do silêncio e da solidão e vivem a bombardear-se de telefonemas, mensagens escritas, mails e contactos no Facebook e nas redes sociais da Net, onde se oferecem como amigos a quem nunca viram na vida. Em vez do silêncio, falam sem cessar; em vez de se encontrarem, contactam-se, para não perder tempo; em vez de se descobrirem, expõem-se logo por inteiro: fotografias deles e dos filhos, das férias na neve e das festas de amigos em casa, a biografia das suas vidas, com amores antigos e actuais. E todos são bonitos, jovens, divertidos, "leves", disponíveis, sensíveis e interessantes. E, por isso é que vivem esta estranha vida: porque, muito embora julguem poder ter o mundo aos pés, não aguentam nem uns dias de solidão. Eis porque já não há ninguém para atravessar o deserto. Ninguém capaz de enfrentar toda aquela solidão."

E temos muitas outras coisas sobre a nossa forma de estar e ser connosco e com os outros, com quem partilhamos a intimidade, nem que seja por um determinado tempo que nos pareceu Eterno.
António Pereira

sábado, 25 de dezembro de 2010

Sobre o sono



Estava a folhear um livro que comprei para fazer pesquisa sobre determinados assuntos, entre os quais o desse ritmo tão importante ao bem-estar e à qualidade de vida do Ser Humano - o sono.

Não o li ainda, mas somente folheei e passei os olhos por partes dele: "Bom Sono, Boa Vida" da Profª. Teresa Paiva, a médica responsável a nível mundial pelo primeiro Mestrado sobre sono. 

E, resolvi entrar no seu site: www.centrodosono.com


Portugal é um país em privação de sono: é o país da Europa, e talvez no mundo, onde as pessoas se deitam mais tarde (70% dos adultos deita-se depois da meia-noite) e acordam cedo, com horários de trabalho a iniciarem por volta das 8h-8h30. Em crianças e adolescentes, o problema acentua-se, sendo que vários estudos revelam privação de sono, sonolência excessiva ou um aumento de subsequentes problemas de saúde.Neste sentido, delineou-se um plano de acção a longo prazo com o objectivo de alertar para a situação e proporcionar uma educação sobre o sono ao público em geral e entre profissionais, assente na ideia “Durma bem, seja saudável”.  

Algo a que devemos reflectir mais neste final de ano e corrigir no nosso estilo de vida, adaptando ao nosso ritmo biológico e aos horários das funções profissionais que exercemos.

Durma bem e profundamente em 2011 e ganhe mais energia e vitalidade!
António Pereira 

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Tradição um pouco diferente


Hoje é a noite de Natal! Noite de algumas tradições alimentares que se podem adaptar a uma alimentação com mais Método. 

Assim, em Portugal é tradição comer legumes cozidos: cenouras, nabos, batatas, cebolas, abóbora, couve portuguesa, grão de bico e outras coisas que dispensamos.

A Couve Portuguesa é um legume existente só na nossa terra e cuja importância é cada vez mais reconhecida na prevenção de inúmeras doenças.

A couve portuguesa tem um baixo valor energético (25kcal/100g) e fornece quase o dobro do cálcio que o leite contém, sendo extremamente importante para uma boa conservação dos ossos.

De modo a não se perder os seus nutrientes durante a sua confecção, devemos optar  por métodos que reduzam o tempo de exposição ao calor, como o cozimento a vapor ou a panela de pressão.

Podemos comer a couve portuguesa cozida com outros legumes, como na Ceia de Natal, salteada no azeite ou em sopas.

Use e abuse desta verdura tipicamente portuguesa na sua alimentação e saiba saboreá-la experimentando várias  formas de a cozinhar. Um Bom Natal com couve portuguesa!
António Pereira

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Feliz Natal e Bom Ano Novo!



A todos os amigos, colegas e leitores deste Blogue quero desejar um Feliz Natal cheio de alegria e carinho junto daqueles que mais amam e que o Ano de 2011 seja repleto de realizações, felicidade, saúde, amor e prosperidade.
António Pereira

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A supressão das instabilidades


A consequência de se procurar alcançar um maior Autoconhecimento, é a de se obter estabilidade a todos os níveis.

Essa estabilidade torna-se difícil de se concretizar pelas causas profundas instaladas no próprio, as quais lhe geram uma instabilidade crónica, um desassossego constante, uma insatisfação doentia.

Todas as Filosofias e pensadores se têm debruçado sobre esta constante característica humana de procura de uma Paz, subjacente a um estado de Autoconhecimento e de Estabilidade constante.

Na antiga Índia, os sábios pela observação da Natureza e pela prática de técnicas desenvolvidas e aperfeiçoadas por essa perspicaz sapiência, geraram uma Filosofia Prática, criada por um bailarino virtuoso que ficou celebrizado para a posterioridade com o nome de Shiva - o Rei dos Bailarinos.

Muitos anos e séculos mais tarde, um outro sábio, de nome Pátañjali, pertencente a uma outra cultura que se tornou dominante na Índia, sistematizou classicamente essa Filosofia Prática, num pequeno e grandioso livro denominado - Yôga Sútra (aforismos do Yôga, filosofia prática).

Desse livro, na tradução feita pelo Comendador DeRose, retiramos pérolas de sabedoria profunda sobre como alcançar a estabilidade e o autoconhecimento.


"Todas as instabilidades são controladas através de ábhyása (prática diligente) e de vairágya (desprendimento). YS-I-12 

"Abhyása (a prática diligente) consiste no enérgico afã de conquistar a estabilidade." YS-I-13

"Esta porém alicerça-se solidamente só com a prática diligente cultivada por um longo tempo, sem interrupção e com profunda dedicação." YS-I-14

"Os sintomas da dispersão mental são: a infelicidade, a depressão, o nervosismo e a respiração irregular." YS-I-31

"A serenidade da consciência é obtida mediante o cultivo da amizade, compaixão, alegria e indiferença, respectivamente aos que são felizes, infelizes, bons e maus." YS-I-33

"Ou seguindo o exemplo de alguém que tenha superado a exaltação das emoções e a dependência dos objectos dos sentidos." YS-I-34


Essas são algumas das formas de se conseguir alcançar a estabilidade e suprimir os sintomas da dispersão. 

Simples e eficaz, como tudo na Vida, porque é realmente na prática das Técnicas do Método DeRose, que encontramos a solução para obter a estabilidade e o autoconhecimento almejados.

Devido não só ao marco histórico que esse livro teve na História da Cultura Hindú e particularmente na dessa Filosofia Prática, é de extrema importância, para não dizer de uma vitalidade rotineira, de vez em quando reler essas frases carregadas de Sabedoria Ancestral e Intemporal.

Depois de meditarmos sobre o seu significado, devemos colocar mãos à obra e praticar as técnicas para nos transformarmos e estabilizarmos.
António Pereira

sábado, 18 de dezembro de 2010

Empreendedor: simples, inovador, eficaz e focado

No filme que deixo aqui temos um exemplo de empreenderorismo, baseado na simplicidade da operacionalidade do seu trabalho, qualidade de serviço, inovação, eficácia e concentração/especialização naquilo que faz e lhe dá prazer. 



Um dos seus segredos está em ter confiança naquilo que faz, estar totalmente focado nisso, sem querer dispersar noutro tipo de coisas que levariam à desfocagem do foco de trabalho e do cliente.

Simples e eficaz, mas extremamente profundo nos ensinamentos óbvios que estão presentes em todos os negócios de sucesso. É bom ver, rever, pensar e reflectir no que este senhor transmite e naquilo que ele conquistou!
António Pereira

Um sonho e mil sensações

Sonhei contigo e apesar do tempo decorrido, algo familiar mantinha-se além das eventuais barreiras criadas durante este período.
A surpresa de voltar a estar junto a ti e ao teu corpo despido e sensual que sinuosamente me catapultava para outro espaço e tempo na forma lânguida de como fazíamos amor. 
As sensações inebriantes sentidas por te tocar novamente e sentir tudo com a mesma força e prazer intensos.
Por entre essas emoções um receio escondido, provavelmente da separação de tempo e das naturais mudanças que tenham sido criadas, pela experiência da vida e o amadurecimento gerado por esta.
Uma saudade nostálgica de outros tempos de prazer, harmonia, estabilidade, alegria e felicidade que transbordávamos quando estávamos juntos,  permaneceu comigo pela manhã num fio de tristeza.
O tempo corrreu, a vida alterou-se, nós mudámos durante os tempos finais e hoje seremos outros, mas essa saudade de tempos de felicidade persistirá sempre no nosso coração e memória pela eternidade.
De tempos em tempos, vens ter comigo, por meio de um sonho semelhante a este acordando-me a memória doutras épocas.
António Pereira

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Uma recordação de Paris


Aqui fica uma recordação de Paris, do sábado em que nevou e bem durante o dia. Foi muito giro!
António Pereira

O beijo da inspiração...


Mais uma preciosidade do baú de antigamente:

"O silêncio da noite entrecruzava-se com a música. Esta adquiria ambiências mágicas e os seus olhos brihavam pelas estradas de sonho, enquanto o seu coração se emocionava em lugares imaginários. E, a tudo isso chamavam o beijo da inspiração."
António Pereira

Textos de antigamente


Encontrava-me à procura de alguns originais de textos escritos noutros tempos para finalizar um trabalho, quando dou com alguns que me surpreenderam e por isso resolvi aqui colocar.

"Encontrei marés de luz, nas vagas da solidão
Navego por estranhas rotas
Por rumos perfilhados de monstros das profundezas,
Do medo.

Do medo vem a vacilação
Tal um corrosivo ácido
Gradualmente vai moendo a vontade
Das fortalezas onde jazem as forças da Vitória."

"Cruzes são sinais ou encruzilhadas
Por onde passam vórtices de evolução
Desembaraçadores de confusões kármicas."

"Encontrei um sentido desconhecido. Descobri novos horizontes os quais ainda mal tinha descortinado. Voei para lá das nuvens e pude sentir a imensidão de ser espaço, liberdade e voo."
António Pereira

Arcas do passado cheias de memórias e acontecimentos futuros, são as sensações que este vasculhar do antigamente me faz sentir.
António Pereira

Ler melhora a saúde


Quem lê mais fica mais receptivo a mudanças de comportamento e de hábitos. Isso é comprovado num estudo sobre hábitos de leitura feito em Centros de Saúde em Portugal, pelos médicos Rosa Costa e Rui Macedo que dizem: 

"Há uma relação positiva entre os níveis de literacia e o nível de saúde de uma população."

Os leitores de livros têm maior capacidade de adoptar estilos de vida saudáveis, de gerir doenças e compreender melhor a mensagem do seu médico.

Mais um estímulo adicional à leitura e uma boa sugestão de prendas para oferecer neste Natal, principalmente se forem livros que ensinem comportamentos para adoptar um life style como são os dos autores que escrevem sobre as técnicas e conceitos do Método DeRose.
António Pereira

Um dia de frio

Um dia de frio em Lisboa, com céu azul e límpido, com o Sol brilhante e uma brisa gelada a afagar o rosto de quem anda na rua.

A sensação agradável de sentir o calor das casas e dos ambientes aquecidos das lojas, reconfortam-nos o corpo e alma.

Um dia de frio em Lisboa e em todo o país, com temperaturas mais baixas concerteza para Norte, mas iluminado por esta luz de um dia azul e brilhante.
António Pereira

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Algo para pensar

Deixo aqui dois pensamentos para se reflectir:


“O poder traz sempre, sobretudo no momento da vitória alguma alucinação consigo.” Ítalo Calvino

"Querer é quase sempre poder: o que é excessivamente raro é o querer." Alexandre Herculano (1810-1877) escritor português

Depois da reflexão, é agir para mudar comportamentos!
António Pereira

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Ser jovem numa sociedade global

Hoje em dia com as transformações extremamente rápidas da sociedade global dos nossos dias, surge um no tipo de juventude e também uma nova forma de ser jovem, com os prós e os contras dessa tendência que nos devem fazer reflectir e ao mesmo tempo adaptar aos tempos actuais.


We All Want to Be Young (spanish subtitle) from box1824 on Vimeo.

Concordemos ou não com aquilo exposto no filme, devemos analisar, pensar e reflectir sobre as consequências das mudanças geradas na sociedade actual, com as questões colocadas pelos jovens ao mostrarem outros paradigmas, com o envelhecimento da população, com a efemeridade das relações sociais, com a mudança da forma de se trabalhar e de como encaramos o trabalho e o prazer, entre muitos outros assuntos das nossas vidas.

É algo que está aí e ao qual não podemos escapar, mas sim tomar uma posição mais activa com as nossas ideias, conceitos e maneira de ser e estar na vida, de modo a podermos construir uma sociedade mais humana e mais de acordo com aquilo que pensamos ser melhor para nós e para a Humanidade.
António Pereira

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Sentir...


Sentir algo que não se explica, além do olhar e do tacto do corpo. Pensar naquilo que podes sentir de mim, se será o mesmo que sinto de ti. Palavras nos olhares que amam o ser e estar em harmonia. Aparentes acasos da vida que nos unem em momentos de força intensa de sentimentos e dão mais sentido ao caminho que trilhamos nesta experiência cósmica. Entenderes aquilo que Sou e perceber aquilo que és. Sentir o amor emanado de ti e dizer estou aqui, porque estou tão sozinho como tu também te sentes. Fica e caminha comigo, lado a lado. Caminha sempre para onde formos na estrada do amor. Precisamos um do outro porque a nossa presença não é estranha a nenhum de nós. Sentir e escutar o coração e a nossa voz interior dizer que encontrámos alguém que já conhecemos de outras paragens de outros tempos de outras palavras de outros sentimentos.
Sentir é uma expressão de que estamos vivos! Sentir-te nas pequenas coisas é poder ter a oportunidade de te conhecer e de me encontrar.
Sentir a força e o calor do teu olhar, das tuas mãos e a serenidade do teu estar que me tranquiliza sem saber porquê e sem compreender como. Sentir um sorriso de abertura de compreensões desse sentir.
Sentir aquilo que pensei teres sentido e poder dizer-te para ter a certeza de que me entendes como te entendo e que um aparente acaso pode ser uma solução para algo que estava embrulhado.
Sentir pode ser somente isso ou um deslumbramento pela beleza emanada de ti. Sejas quem fores, sente aquilo que és e o que podes ser, de como podemos fazer outros sentir aquilo que eles são, no seu mundo de solidão ou de companhia.
Sentir...
António Pereira

De volta...


De volta a casa e a Lisboa, a minha cidade, após duas semanas pelo Porto e Paris, onde fez um frio de rachar e alguns dias em que nevou. 

Participámos no Porto na Gala DeRose - 2011 e em Paris nos Cursos do Mestre DeRose e Lançamento de livro.

Para Paris fui acompanhado pelo nosso aluno graduado, Patrício Vinagreiro, do Espaço Lifestyle, e casualmente viajámos com a aluna graduada da Unidade Chiado, Assíria Mikosz, que nos acompanhou nos passeios pela capital francesa, na 5ª e 6ª feiras.


Foram grandes passeatas a pé por vários locais importantes e um dia geladíssimo na Torre Eiffel, com algumas pausas para comer sopa de cebola, pizza, chocolate quente, chá e alguns docinhos. Valeu a companhia simpática do Patrício e da Assíria. Divertimo-nos bastante!

Nos restantes dias, convivemos com vários colegas, mas estivémos mais de perto de:  Filipa Loureiro, José Afonso, Gustavo Cardoso, Paulinho Pacific. Sónia Ferreira, Dalila, Fátima Ferreira, Amana, Pilar, Chistine, entre outros, devido a quase todos estarmos alojados no mesmo apartamento.

Foram dias e noites muito bons, de divertimento e agradável comnvívio, em que ficámos até às tantas a beber chá e a conversar. Algo a repetir mais vezes!
António Pereira