segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

As mudanças previstas no mundo até 2025


De acordo com um estudo internacional sobre as grandes mudanças que podem ocorrer no mundo até 2025, aumentará o número de pessoas com mais de 60 anos, os quais serão o grupo etário em que o poder de compra aumentará consideravelmente.

Em termos de consumo, o design e o marketing de produtos estará particularmente focado em atrair os idosos e provavelmente os CDs, DVDs, livros e talvez o dinheiro, poderão vir a ter uma existência digital.

Os cartões de fidelidade e as compras em grupo serão novas aplicações que oferecerão descontos se os bens e serviços forem adquiridos pela net.

Serão as comunidades de utilizadores da net que irão comparar a qualidade de serviços e preços, trocando informações e posteriormente recomendando ou não esses produtos.


Quanto aos recursos naturais haverá mais inovação que evitará o desperdício valorizando ainda mais estes que poderão ser mais escassos.

A democracia deverá ter de se adaptar a novas formas de participação cívica dos cidadãos e das Instituições privadas, como as ONGs, associações filantrópicas, etc.

Até 2025 poderão ocorrer duas ameaças disruptivas: poluição, crises económicas, pandemias globais, ataques informáticos, desastres naturais, etc.

Em Portugal deverá apostar-se mais na Educação para se dar um salto na qualidade e na inovação, gerando mais tecnologia, mais inteligência e vantagens competitivas. 


Na opinião de Martin Walker (historiador), líder do think thank Global Business Policy Council da consultora A.T.Kearney:

"O mundo poderá ser um lugar melhor, se alguma tecnologia mais recente vier a ser adoptada..."

"A Europa Ocidental será o melhor lugar para viver, desde que a idade de reforma seja adiada e o sistema de pensões e as universidades sejam reformados."

"O Estado social na Europa - e nos EUA - tem de ser reformulado e repensado."


"Provavelmente, teremos de aumentar a idade de reforma na Europa para 67 anos, em 2015, e para 70 anos, em 2025. O ideal seria que a reforma passasse a ser voluntária."

"Precisamos de repensar os sistemas de ensino superior para que sejam mais do que um ritual de passagem semi-intelectual para adolescentes tardios. As universidades devem oferecer aprendizagem pela vida fora a pessoas de 30, 40 e 50 anos."     in Visão, 30 de Dezembro de 2010   

Um dos conselhos que ele daria aos líderes mundiais seria:

"... assegurar que todas as raparigas frequentem a escola durante, pelo menos, dez anos, em qualquer parte do mundo."

Veremos se estas previsões se irão concretizar e aquilo que poderá ser melhorado até 2025.
António Pereira

2 comentários:

sandra disse...

Olá professor!

Gostaria de deixar aqui a minha opinião de que só através da educação consciente é possível construir uma sociedade civilizada!

Muitos cumprimentos,
Sandra.

Anónimo disse...

concordo
se deus quiser tudo vai melhorar