quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Voluntariado: um acto de generosidade


A minha amiga Fernanda Freitas, jornalista e apresentadora do programa Sociedade Civil, na RTP2, é a Presidente do AEV Portugal 2011, neste ano Europeu do Voluntariado.

Pela pessoa especial que ela é e pela importância que o voluntariado tem em várias áreas da sociedade civil e também por ter a ver com o trabalho desenvolvido nas Escolas do Método DeRose, deixo aqui uma pequena entrevista que ela deu sobre voluntariado.



Para quem não sabe, a primeira parte do ensino ou passagem do conhecimento na tradição oriental (guru-sêva), consiste precisamente num acto espontâneo de voluntariado. 

É uma forma de aprendizagem através da ajuda desinteressada, pela qual o voluntário aprende muito sobre si, sobre os outros, sobre a actividade em que está a desenvolver o seu voluntarismo e sobre a vida.  

Saiba mais sobre esta ferramenta da tradição hindú, nas Tertúlias, Cursos, eventos que o Método DeRose realiza semanal e mensalmente, colabore na sua Escola e também na sociedade civil, fazendo voluntariado em algo que o motive, ou organize uma actividade em que vários colegas do nosso Método possam colaborar dentro e fora da Instituição.
António Pereira

4 comentários:

sandra disse...

Olá Professor!
Voluntariado, sim! Melhor ainda se sair direto de uma verdadeira vontade de ajudar. Será uma coisa meio desvirtuada se for apenas para constar no currículo ou conceder uma aura de "boa pessoa" a quem o fizer. Voluntário para ajudar de maneira instituída, mas também os mais próximos de nós.
Abraços grandes,
Sandra.

Anónimo disse...

acho que nao sei assinei o comentario anterior...
a mensagem sobre guru seva é minha...

ate logo
Andreia Fragoeiro

ana maria disse...

Sem demérito para a citada, informo que a D. Fernanda Freitas não é jornalista e não possui a respectiva carteira profissional, conforme se pode verificar em www.ccpj.pt

Prof. António Pereira disse...

Ana Maria,
Obrigado pela sua visita a este blogue e pelo seu comentário.
Quanto à questão, da Fernanda Freitas não se encontrar na lista da comissão, tem toda a razão porque pura e simplesmente ela não pagou a quota no ano passado, por esquecimento.
Contudo, o seu número de carteira de jornalista continua "cativo" por ser dela.
Entretanto, sei que a Fernanda Freitas se encontra a tratar da sua renovação.
Não me parece ser algo grave. É de resto o exercício da profissão que faz o jornalista, não o rótulo ou a carteira profissional.
Espero ter-lhe prestado o esclarecimento para o facto do nome dela não constar na referida lista.
Até breve!
António Pereira