terça-feira, 29 de março de 2011

Era uma vez uma Rede...


Era uma vez uma rede, muito bem tecida na cabeça do seu criador que perpectivava a sua expansão para o maior número de pessoas, por pensar ser uma das melhores formas de melhorar a comunicação e reduzir a ignorância, ampliando a rapidez de acesso a informações vitais.

Como sempre, em toda a história dos tempos e das civilizações, quando uma ideia é fora do paradigma vigente, surgem sempre dificuldades e desanimadores. Felizmente um dos autores dessa rede, conseguiu ver ainda em vida, o seu sonho e criação espalhar-se pelo mundo, como um vírus.

Essa rede, chama-se Internet e dá-nos a possibilidade de estar a enviar este texto para milhões de pessoas que o acedam.


No sábado passado, morreu com 84 anos, Paul Baran um dos pioneiros da Net, com a sua Arpanet. Baran teve a ideia de uma rede de comunicação mais distribuída que fosse menos vulnerável a ataques.

Assim, em meados da década de 60 do séc. XX, Paul Baran apresenta esta ideia à AT&T, empresa operadora de redes telefónicas, a qual recusou e ainda afirmou que não resultaria, acabando por não investir nesse projecto.

Porém, mais uma vez a persistência, determinação e coragem de Paul Baran, de ir contra aquilo que estava estabelecido e pensado como único e certo, levou-o mais longe.


Em 1969, foi criada a Arpanet, com a ideia de Baran e de outros que, na mesma altura, pensavam em sistemas semelhantes. 

Baran demonstrou a sua humildade ao não reinvidicar para si a autoria da ideia e dos processos de funcionamento da Internet. Isso levou-o a afirmar em 2001, numa entrevista: "A Internet é realmente o trabalho de um milhar de pessoas."

Genial, perseverante, corajoso e humilde no bom sentido!
António Pereira

0 comentários: