segunda-feira, 7 de março de 2011

Mude o mundo, comece por si!


Estou a reler o livro "Mãos à Obra - um guia prático para a publicação de livros", do nosso colega Rodrigo De Bona. Do capítulo que tem o nome deste post, retirei e adaptei umas citações deveras interessantes.

O Método DeRose preconiza um "estilo de vida baseado em técnicas e conceitos inspirados  directamente em tradições ancestrais professadas no período proto-histórico."

Essa filosofia pode ser definida como uma urdidura de conceitos e técnicas, oriundas de tradições culturais muito antigas.

"Essa cultura nos estimula a agir, a participar ativamente do mundo em que vivemos, através do desenvolvimento  de conceitos como civilidade e cidadania."


CIVILIDADE

"Civilidade pode ser definida como o conjunto de formalidades observadas entre si pelos cidadãos em sinal de respeito mútuo e consideração. Mas também, de forma mais genérica, representa polidez, urbanidade, delicadeza, cortesia. Isso significa não apenas boas maneiras ou educação, mas sim ter um comportamento refinado de forma natural, autêntica. Alcançamos o ponto ideal de civilidade quando não precisamos mais nos esforçar para sermos educados, sutis, polidos, pois isso passa a fluir despontaneamente de nossas atitudes."


CIDADANIA

"Cidadania é a qualidade de usufruir de direitos civis e políticos, é participar da sociedade em que estamos inseridos. Mas significa principalmente ter a noção de que temos direitos e obrigações perante a sociedade, portanto, podemos e devemos influenciar essa sociedade, seja em um sentido mais restrito (como na família, pais, filhos, parentes), no trabalho, ou mesmo no sentido mais amplo: temos o direito e a obrigação de influenciar o nosso país - e porque não? - de mudar o mundo!

Em um primeiro momento, o conceito de civilidade estimula a buscar o aprimoramento do indíviduo em todas as áreas (física, emocional e mental). Para isso, usamos as técnicas (orgânicas, respiratórias, etc.), a fim de conhecermos melhor o nosso corpo e condicionamentos, possibilitando-nos fazer escolhas cada vez melhores, mais saudáveis e inteligentes, interferindo positivamente na nossa vida, como uma espiral evolutiva infinita de autoconhecimento e autoaprimoramento. Isso significa sermos coreógrafos da nossa própria existência!

FAÇA PARTE DA HISTÓRIA

A partir daí, podemos, com maturidade e lucidez, influenciar a sociedade à nossa volta, mudar o mundo, intervir ativamente na existência humana e fazer parte da História. Por isso os grandes escritores são ditos imortais, pois os seus legados permanecem vivos para todo o sempre."

Se não fosse por mais nada daquilo que o livro nos ensina, por estes trechos, já valeria a pena ler e reler esta obra que recomendo vivamente.
António Pereira

1 comentários:

David F disse...

Wow! Muito bons estes trechos.
Esse livro está no topo da minha lista de livros a comprar, acho que vou trazê-lo para casa da próxima vez que fôr á escola.

Acredito que vai dar uma ajuda significativa na elaboração da monografia.

Abraços Professor.