quinta-feira, 31 de março de 2011

O medo...


O medo em certo sentido pode salvar-nos a vida, mas geralmente ele é o maior entrave para se ir mais além, mudar de vida, realizar mais coisas, descobrir outras realidades e pontos de vista, reencontrarmo-nos etc.

Sobre o medo deixo aqui um pequeno extracto de um livro, aparentemente pequeno na quantidade de folhas e para algumas pessoas poderá ser um livro não muito interessante, mas lá no fundo, é um livro com muito conteúdo que pode levar-nos a pensar mais e de forma diferente.

"E qual é a origem do medo de uma pessoa?
- No caso da maioria, é o ego - disse o velho. 
- Nosso ego costuma nos deixar arrogantes no pico e temerosos no vale. Ele nos impede de ver o que é real. O ego distorce a verdade. Quando você está num pico, seu ego faz com que as coisas pareçam melhores do que realmente são. E quando você está num vale, o ego faz com que as coisas pareçam piores do que realmente são. Ele o faz pensar que o pico durará para sempre e temer que o vale não termine nunca. Spencer Johnson, M.D., in "Picos e Vales"

A raiz da arrogância, é a insegurança que tem como fonte o medo. Resumindo, os arrogantes lá no fundo são uns medrosos que enaltecem o seu ego, para se sentirem seguros daquilo que não são.

Quando tiver medo, reflicta se isso faz sentido. Se o seu coração ou intuição lhe disser que sim, siga essa sensação, mas por outro lado pense se não é algo que lhe foi incutido socialmente, para que seja mais um entre outros e não tenha a liberdade de pensar por si e agir conforme os seus princípios e valores. 

Mesmo assim tenha a coragem de mudar e alargar horizontes para a sua vida, de modo a sentir-se melhor consigo e mais feliz.
António Pereira

3 comentários:

mariana.abrunhosa disse...

SwáSthya!
Gosto da imagem imagem dada pelo Mestre, do ego ser um garanhão branco, montado por nós, e que através dele nos dirigimos, e alcançamos, nossa meta, objectivo ou missão! O conselho do meu Mestre do coração, é aprender a saber montar o garanhão com integridade, ao lado dos muitos magestosos garanhões, montados pelos meus irmãos, que cavalgam ao meu lado!
Abraço!

Prof. António Pereira disse...

Olá Mariana,
Obrigado pelo teu comentário. Bela imagem, a dos majestosos (tinha uma gralha nesta palavra, no teu texto) garanhões brancos, cavalgados pelos irmãos que partilham este nobre ideal.
Beijinhos,
António Pereira

P.S.- Faz algum tempo que não te vejo.

sandra disse...

... o medo pode-nos salvar a vida ou ao contrário matar a vida que existe em nós
juntamente com o medo, estarão então esses egos com infinitas formas
não vale a pena fugir, os medos transformam-se em fantasmas
mudar, mudar...
vários caminhos percorridos
em frente o que fica?