quarta-feira, 13 de abril de 2011

A inocência


A inocência é pura, quando todos são inocentes. A inocência é impura, quando a maioria é culpada. Assim ingenuidade e maldade se separam como água de azeite ou como o que é limpo, se suja quando toca na imundície.

A saudável inocência, da pequena criança que habita dentro de cada um de nós, suja-se com a maldade daqueles que foram conspurcados pela ausência de ingenuidade.
António Pereira

3 comentários:

Anónimo disse...

Poderoso e acertivo!
Um abraço
Nuno

Prof. António Pereira disse...

Nuno,
Obrigado! Um grande abraço de até amanhã.
António Pereira

P.S- Por lapso, escreveste assertivo com "C".

sandra disse...

Olá Professor!

A propósito deste texto, surge-me uma dúvida:
A perda da inocência, segundo a Bíblia, ter-se-á dado quando a Eva deu uma dentada numa maçã da árvore da Sabedoria. Se estou interpretando bem, ter acesso ao Conhecimento seria equivalente a perder a inocência!!!
Pasmo.
Um abraço grande,
Sandra.