terça-feira, 31 de maio de 2011

Algo que surgiu


Como se estivesse a caminhar para o fim de um ciclo, ele olhava para trás e surgiam-lhe imagens de vida agarrada já ao seu património genético. Não era um sentimento saudosista, nem de nostalgia por algo que já se viveu e quer viver novamente, mas somente uma sensação boa de estar vivo e a caminhar para o lugar onde queremos chegar e onde nos esperam.

Um caminho novo apresentava-se, ainda enevoado na sua mente, mas com certezas na sua intuição de que é por aí que deve seguir. Esse sentimento dava-lhe uma tranquilidade, uma serenidade, como há muito tempo não sentia.

Interiormente sorriu e perguntou a si próprio, se a trilha da paz interior, era simplesmente amar a vida, os momentos, os outros e realizar o seu potencial, sem adiamentos de tempo ou de desculpas enganosas que cada um faz a si.

Com certeza irá ser um renascimento e uma caminhada para um novo início, mesmo que ele contemple um fim, a sua marca tem de ficar registada nesta assinatura cósmica chamada de Vida.
António Pereira

3 comentários:

Paula Milani disse...

Bom post! Boa sorte!**

sandra disse...

Olá Professor :)))!

Fico com um pensamento ao ler as suas palavras: O lugar onde quero chegar! Caminhamos todos e os caminhos são muitos! Por vezes fica confuso saber o caminho a seguir...faz-se opções, vamo-nos aproximando do que nos chama... Parece não fazer muito sentido se pensarmos nalgumas coisas! O pensamento de que não se está a cumprir um destino maior simplesmente doi. No entanto, mais forte que o pensamento é uma certeza do coração. É preciso caminhar muito para ter essa certeza e depois de a ter, batalhar muito para a preservar. Obrigada pelas suas palavras neste blog que vão sendo uns sinais no meu caminho!
Um abraço,
Sandra

Prof. António Pereira disse...

Sandra,
As certezas do coração, estão contidas nele, na maior parte das vezes, lá no fundo e na maioria das situações não queremos ver ou ouvir essas respostas. Porém, é necessário batalhar e persistir na nossa caminhada.
Beijos,
António Pereira