quarta-feira, 25 de maio de 2011

Uma grande lição de humildade


Carl Sagan, foi um dos grandes Homens da história recente da humanidade e um grande cientista. Primou sempre no seu trabalho pela liberdade do indíviduo e por uma abertura de pensamento fora do comum. Podemos dizer que estava muito à frente no seu tempo e, talvez também do tempo actual.

O seu precoce desaparecimento com sessenta e poucos anos, vítima de cancro, deixou a Ciência, no geral e a Astronomia, em particular, muito mais pobres.

Deixou um vasto legado em obras de cariz científico, sendo os mais conhecidos, Cosmos, em livro e série de televisão; Contacto, em livro e no fabuloso filme representado por Jodie Foster e o livro Dragões do Éden, entre muitos outros, que tiveram o objectivo de aproximar os conhecimentos da Astronomia e de outras Ciências, do grande público, e de abrir horizontes, pensamentos, sobre este nosso planeta e a sua pequena contribuição dentro de um Universo imenso.




Este pequeno filme dá-nos uma grande lição de humildade e relativiza a nossa mania das grandezas! Um óptimo pretexto para reflectirmos sobre aquilo que fazemos aqui e o sentido da vida. Deve ser uma fonte de inspiração para que o nosso comportamento seja pleno de harmonia e cordialidade, ao mesmo tempo carregado de premência de realizarmos e sermos mais felizes.
António Pereira

4 comentários:

Cheila Saldanha disse...

Já tive para ler o livro, mas não o cheguei a fazer. 'Ouvi dizer' que era um pouco denso e havia probabilidade de ficar com um nó na cabeça. Mas é um tema que fascina...

Mesa disse...

O vídeo deixou-me bem mergulhada no sufoco da nossa pequenez.Ficou a latejar cá dentro sob uma sensação de vazio pela incompreensão da existência, pela estranheza da vida e do que com ela se faz ou pode fazer perante a multiplicidade de alternativas. É importante procurar respostas, é importante tomar consciência da nossa passagem por este planeta.
Obrigada professor António.

Prof. António Pereira disse...

Cheila,
Se o livro for o «Contacto», ele está escrito como um romance e é leve, já os «Dragões do Éden», tem uma parte mais densa, mas lê-se bem e o Cosmos tem os episódios da série de televisão da década de 80 que vê facilmente.
E, os nós na cabeça, desatam-se!
Beijos,
António Pereira

Prof. António Pereira disse...

Carmen,
É importante encontrarmos respostas, principalmente as que estão ou surgem dentro de nós, muitas vezes motivadas por essas questões ou por algo exterior que nos fez reencontrar as respostas internas.
Beijos,
António Pereira