quarta-feira, 15 de junho de 2011

Um texto do dia de hoje

Hoje passei grande parte do dia numa instituição pública, ao fim da quarta vez de tentativas para fazer a renovação da Carta de Condução, por ter feito 50 anos. Como o local escolhido desta vez, não ficava longe da minha casa, fui e vim umas três vezes, visto ter 100 pessoas à frente quando de manhã tirei a minha senha e não querer ficar lá a vegetar durante 7 horas.

Porém, chegou uma altura em que tive de ficar lá à espera da minha vez e para não deixar o tempo passar, levei comigo um livro que estou a ler: Humilhação, do Philip Roth, um autor que aprecio bastante, do qual já li alguns livros.

Dessa leitura sobressaiu uma frase da fala do personagem principal - um homem com sessenta e poucos anos, um actor com dificuldades nesta fase da sua carreira famosa, entre outras circunstâncias:

«A minha vida nos últimos anos tem sido muito precária. Não sinto a força que seria necessária para suportar a destruição das minhas esperanças. Já tive a minha dose de infelicidade conjugal, e antes dela a minha dose de rompimentos com mulheres. É sempre doloroso, é sempre duro, e não quero voltar a passar por isso nesta fase da minha vida.» in Humilhação, de Philip Roth

Boas reflexões, conclusões e acções!
António Pereira

0 comentários: