quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Lost...


Ontem, à noite, fomos com alguns alunos do Espaço Lifestyle a uma das muitas esplanadas de Lisboa. Aconteceu-nos a mesma coisa de uma outra vez. Eram umas 22:30 quando chegámos à esplanada Lost In. Esperámos uns 10m. para nos deixarem a ementa e o melhor ficou para o fim.

Após termos analisado a lista de possibilidades de comidas e bebidas, aguardámos mais uns 10 minutos. Quando chegou o funcionário, fomos chocantemente surpreendidos pela notícia de que não havia nada para comer, nem uma simples tosta, por já não servirem aquela hora. Estavam completamente perdidos e com a sua perdição perderam alguns clientes: nós.

Uma péssima imagem e um mau serviço à cidade de Lisboa, actualmente cheia de turistas e viajantes, foram dados por este espaço, com um local fabuloso, mas sem ter a capacidade para servir alguma coisa a uma hora razoável, em que ainda se consegue comer em vários locais da cidade. 

Esta mesma situação, já nos tinha ocorrido numa outra noite, em que também fomos para uma esplanada. Neste caso a do jardim de S. Pedro de Alcântara, onde obtivémos a mesma resposta. Em ambos os casos, o grupo levantou-se e procurámos outro local disposto a fazer negócio e a receber o nosso dinheiro.


Ontem após o ocorrido, fomos comprar pedaços de pizza, numa lojinha da R. da Escola Politécnica, que fica antes de se chegar ao jardim do Princípe Real. É uma loja semelhante a muitas que existem, por exemplo, em Roma e onde escolhemos o pedaço do pretendido.

Além da simpatia no atendimento, de nos terem dado um pedaço de pizza romana (com batata) para provarmos, o valor foi bem em conta e a loja fecha somente às 2 horas. Um bom local para comprar pizzas, levar e comer em casa ou na rua.

No nosso caso, depois de cada um escolher o que gostava, levámos a comida e as bebidas para o jardim de S. Pedro de Alcantâra. Aí sentámo-nos a comer, conversar e a contemplar a belíssima vista de Lisboa, na tórrida noite de ontem.

Aprendemos como se pode fazer negócio e como as aparência podem iludir sobre a qualidade de um serviço.
António Pereira

0 comentários: