quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Sem máscaras


A maioria das vezes escondemo-nos de nós mesmos e dos outros, mostrando somente uma máscara que fomos criando ao longo da vida ou nos foi imposta e a ela nos habituámos para nos apresentarmos socialmente. Talvez seja um mecanismo de defesa do indivíduo para se preservar perante as opiniões e tradições vigentes na sociedade, mas acaba por ser uma corrente que nos aprisiona e não nos deixa ir mais além, em direção da nossa liberdade como indivíduos.

"Persona é a máscara usada pelo indivíduo em resposta às convenções e tradições sociais..." Carl Jung

Assim a Personalidade, afasta-nos daquilo que realmente somos por causa dos paradigmas da sociedade e daqueles que nós próprios fomos criando. A Personalidade mascara as causas que nos levam a agir e a ser de uma determinada forma na atualidade, dificultando a visualização de como podemos alcançar a nossa verdadeira libertação, a qual nos permitirá vislumbrar a nossa Individualidade.

Desenvolvamos então todos os esforços para nos autosuperarmos (tápas) no sentido de progredirmos nesse autoestudo (swádhyáya) em direção à nossa renovação e que ela seja um fator de motivação para muitos outros deixarem cair as suas máscaras e serem mais eles próprios. 

Talvez este seja um bom desígnio a imprimir nos votos para o novo ano de 2012!
António Pereira

5 comentários:

David F. disse...

Sem dúvida alguma esses seriam uns bons votos para 2012.
Um abraço de feliz ano novo professor. c

Ná disse...

Que 2012 nos traga a coragem de tornar visível o nosso Eu verdadeiro!

Feliz Ano Novo Profesor!

Prof. António Pereira disse...

Obrigado e um bom e feliz 2012!

Anónimo disse...

É mesmo o que eu estava a precisar de ler! O meu muito obrigada :)
Paula Milani

Prof. António Pereira disse...

Paula,
Ainda bem que fez sentido para ti.
Beijos