quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Existe...


Existe sempre uma hora, em que tudo aquilo, trazido por nós do passado, tem de ser solto como um lastro, para nos tornarmos mais leves e podermos ir mais alto e mais longe.

As amarras, são os medos com que nos fomos enredando ao longo da vida e que precisamos de cortar com decisão e lucidez, para desbravarmos novos horizontes e encontrarmos outros portos seguros que nos catapultarão para realizações inimagináveis por nós no presente.

Nessa altura de libertação, olharemos para trás e veremos como éramos tão embrulhados e como foi fácil, ir em frente, mesmo com algum receio por desbravar novos caminhos e conhecer novas pessoas, iremos conhecer-nos melhor a nós próprios.

Existe sempre uma hora, em que temos de ser nós na íntegra para podermos cumprir os nossos mais auspiciosos desígnios e nos realizarmos cada vez mais.
António Pereira

3 comentários:

Pedro Carrer disse...

Fantástico!
Obrigado.

Abraços

Prof. António Pereira disse...

Obrigado!

Ná disse...

No momento de soltar as amarras,o seu texto Professor, encoraja-me a tomar a decisão com mais lucidez.

Obrigada!