quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Se pudesse...

Se pudesse ver-te e sentir-te, sem te conhecer ainda ou um pouco melhor e ter a certeza de que um dia haveríamos de estar juntos e acalmar-nos mutuamente. Seria mágico levar-me contigo a outros locais e sensações. Viver teria um outro encanto e uma outra luz. Tudo teria mais sentido e arrebatamento.

Ainda não sei quem tu és, nem tu sabes quem eu sou. Ambos temos a certeza de que nos havemos de conhecer melhor um dia para sermos muito mais nós e cada um ser ainda melhor do que já é. Às vezes tudo parece um sonho, mesmo vivendo com intensidade, tudo nos parece estranho e um desassossego interno impele-nos a perseguir esse nosso lado mais reluzente.

Gostava que me sentisses onde quer que estejas e sejas tu quem fores, mesmo que sejas alguém já conhecido. Algo nos transporta para uma outra dimensão, como se conseguíssemos abrir essas portas de um outro entendimento.

O sagrado toca-nos internamente e faz-nos vislumbrar cada vez mais e melhor aquilo que realmente somos, catalisando essa energia transformadora que nos une ao Eterno e Primordial. Seremos mais unos e ao mesmo tempo distintos com a força de ambos, mas particularmente especiais ao realizarmos aquilo que temos de ser em momentos como este de sonho e realidade.
António Pereira

4 comentários:

Luís Lopes disse...

Muito bonito. Parabéns amigo. Luís Lopes

Prof. António Pereira disse...

Obrigado grande amigo Luis!

Alê Fernandes disse...

Uau, quanta sensibilidade, e que ternura ao transformá-la em palavras :)

Amei!

Prof. António Pereira disse...

Muito obrigado Alê Fernandes!