quarta-feira, 16 de maio de 2012

Viver...


Somos humanos e como tal não somos perfeitos, mas temos a intenção de nos tornarmos, perseguindo a ausência de erro e de falta de estética, até ao final da vida, mesmo que uma vez ou outra, sintamos e vivamos momentos de identificação com a Natureza e o Universo.

Como tal, devemos cultivar a tolerância, dentro de padrões de bom senso, que não a tornem um defeito por falta de firmeza, quando é necessário esta, porque também nós temos imperfeições que batalhamos para as transformarmos em perfeições.

«Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.»  Augusto Cury

Trabalhemos para sublimar os nossos defeitos e aperfeiçoarmo-nos cada vez mais, deixando a verdadeira felicidade brotar de dentro de nós, agarrando a vida com toda a nossa capacidade e intensidade de amar e realizar e sejamos donos da nossa própria vida.

Vale a pena viver e sentir a liberdade de sermos quem somos, num processo contínuo de auto aperfeiçoamento até ao autoconhecimento genuíno.
António Pereira

0 comentários: