terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Um ponto grande!


Afinal não é bem um ponto, aquele que se tem falado durante algum tempo e procurado ansiosamente como o supremo prazer, antes será uma área, o que permite ter mais possibilidades para alcançar um extraordinário momento aprazível.

Estamos a falar do famoso Ponto G, o qual, de acordo com pesquisas recentes, afinal não é um ponto, mas antes uma zona ou área que estimulada gera um super prazer para a mulher. 

Uma boa notícia para as mulheres por terem uma área maior, onde podem desencadear e ter sensações excelsas e também uma boa notícia para os homens, que não precisarão de procurar um só ponto, tendo mais oportunidades para acertar mais vezes, visto ser antes uma zona mais ampla (ver notícia em: http://aeiou.visao.pt/incrivel-afinal-o-ponto-g-nao-e-bem-um-ponto=f644263)

Nada como praticar e usufruir de tão famosa área e tornar a parceira mais satisfeita!
António Pereira

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Uma notícia curiosa... para os homens e mulheres também

Li um dia destes uma notícia curiosa, sobre uma investigação científica, cujos resultados são fantásticos para os homens, mas acrescentaria que também será para as mulheres.

(Para ver bem a notícia, clique em cima dela para ampliar)


Tirem-se as conclusões que se tirarem, a ser verdade, conclui-se com esta notícia que no verão, provavelmente há mais saúde.
António Pereira

Um serão rico de troca de conhecimento e experiência


No sábado passado tivémos momentos ricos de troca de conhecimento e experiência, no final das Avaliações da Federação do Método DeRose de Portugal, onde por intermédio de uma situação constatada pelas Bancas Examinadoras se foi desfiando um verdadeiro curso sobre comportamento, sensibilidade, autoconhecimento, etc. Esperamos que os presentes tenham absorvido!

A seguir conduzi o Olhares de Nyása, na Unidade Marquês de Pombal, tendo tido como convidada a nossa amiga e colega Profª. Catarina Candeias.

Através dessa conversa e também das perguntas da audiência, desenrolou-se um serão muito interessante, rico em partilha de conhecimento, experiência pessoal e profissional e outros aspectos da vida. 

Agradeço a todos os participantes que ao estarem presentes enriqueceram este momento, tornando-o histórico!
António Pereira

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Olhares de Nyása, este sábado, com a Profª. Catarina Candeias


Amanhã, sábado dia 28 de janeiro de 2012, teremos o primeiro Olhares de Nyása de 2012. Será na Unidade Marquês de Pombal, às 21:30 e terá como nossa convidada a Profª. Catarina Candeias, profissional de SwáSthya há 20 anos, umas das professoras mais antigas do país e da Egrégora, com presença importante e decisiva em marcos marcantes da História do SwáSthya e do Método DeRose em Portugal e da Rede.

Venha conhecer factos históricos e interessantes sobre o percurso da Profª. Catarina Candeias e valorizar ainda mais aquilo que foi construído durante 32 anos do SwáSthya e do Método DeRose no nosso país.

O Olhares de Nyása será precedido de um jantar na escola do Marquês de Pombal para o qual os interessados deverão fazer previamente a sua inscrição.

Contamos com a presença de todos os instrutores e alunos das escolas do Método DeRose e de SwáSthya!
António Pereira

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Sono: um amigo desprezado!


O sono é um ritmo biológico indispensável para o bem-estar geral do ser humano, mas hoje em dia na nossa sociedade, é um amigo desprezado pela maioria das pessoas, com consequências inimagináveis para a maioria.



Pense bem antes de conduzir ou fazer alguma tarefa profissional, se não é melhor descansar melhor ou tirar uns minutinhos de sesta, para depois realizar tudo com outra lucidez e clareza de pensamento e principalmente sem ser prejudicial para si e para os outros.
António Pereira

Insight!


Quando formos aquilo que queremos ser, seremos!
António Pereira

Renascer: um dia importante, numa década


Hoje é um dia importante que finaliza uma nova década na minha vida. Há dez anos podia ter passado para o outro lado da vida. Por isso, é importante relembrar para poder ter sempre uma visão mais ampla e lúcida de cada dia, mês e ano do resto desta caminhada.

Foi uma década de transformações, aprendizagem, mudanças na vida pessoal e profissional e de atenção  para desenvolver uma consciência maior de quem sou e para onde vou. São também mais dez anos de profissão, que somam o total de 31 a comemorar em 2012.


Sei que não sou a mesma pessoa que era antes desse episódio. Espero ter-me tornado e ser cada vez mais um Ser Humano ainda melhor.

Tenho um agradecimento profundo e eterno para com o Comendador DeRose, os meus irmãos - Mila e Jonas -, a Mariana e família, a Catarina, Luis Lopes e outros mais amigos e colegas de toda a Egrégora do Método DeRose.
António Pereira

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Vício e virtude



Sobre os paradigmas da nossa cultura, seus vícios e virtudes e a forma de melhor educar relativamente aos vícios, retirei um post do blogue do Comendador DeRose que devido à sua importância resolvi reproduzir aqui na íntegra.

«Toda a cultura judaico-cristã se apoia na dicotomia vício e virtude. Nesse sentido, vício é a antítese da virtude e tem o sentido de defeito, qualidade negativa, imperfeição, disposição para praticar o mal.

Tanto o Antigo quanto o Novo Testamento são pródigos em exemplos e parábolas que procuram incutir nos seus leitores a noção de que o vício será punido e a virtude recompensada.

Contudo, no sentido corrente da linguagem coloquial, vício tem a acepção de dependência gerada pelo uso de drogas (cocaína, nicotina, cafeína, teína, teobromina, guaraína, adrenalina, álcool etc).

A maioria dessas drogas é considerada inocente e, dessa forma, é legal e socialmente aceitável. No entanto, nem por isso tais substâncias deixam de ser potencialmente prejudiciais a partir do momento em que criem dependência física e psíquica. Várias delas alteram os sentidos a ponto de pôr em risco a própria vida do usuário e as dos demais.

Quando nos referimos ao vício e às drogas, popularmente estamos aludindo às substâncias ilegais ou, pelo menos, ao álcool e ao fumo. Raramente ao café. Apesar disso, uma das primeiras coisas que o médico pergunta em uma consulta é quanto o paciente toma de café por dia!

Quer apliquemos aqui a primeira ou a segunda acepção do termo vício, a forma mais eficiente de combatê-lo é atuando na juventude. Uma pessoa que já carregue nas costas quarenta anos de idade, ou mais, dificilmente aceitará a orientação para que deixe de fumar, beber ou usar drogas, a menos que ocorra uma motivação muito forte como o diagnóstico de uma doença grave. Mesmo assim, um bom número ainda reincide.


Trabalho há cinquenta anos com reeducação comportamental e qualidade de vida. Pela minha experiência, o investimento de trabalho e energia necessários para tentar desintoxicar e curar um usuário de drogas é cerca de cem vezes maior do que o trabalho e energia investidos para evitar que um jovem comece a fumar, beber ou envolver-se com tóxicos. E as probabilidades de sucesso seguem a mesma proporção.

Assim sendo, poderemos auxiliar cem vezes mais gente se realizarmos um trabalho preventivo. É a mesma coisa com a criminalidade. Custaria muito menos ao estado educar do que sustentar toda uma máquina policial e outra judiciária para processar, prender e manter as tantas penitenciárias abarrotadas, as quais nunca darão conta da demanda se a política continuar sendo a de “punir depois” ao invés de “educar antes”. E todos sabemos que o uso de drogas aumenta a criminalidade.

Ocorre que o ser humano se vicia muito facilmente e não apenas em substâncias. Ele se vicia com muita facilidade e em qualquer coisa. Vicia-se no jogo, em esportes radicais, em pescaria, em colecionar coisas, em sexo, em religião, em chocolate, em Coca-Cola, em cafezinho, em novelas, em seriados, em ganhar dinheiro, em perder dinheiro… vicia-se em qualquer coisa.

Então, conhecendo essa característica do Homo sapiens, durante este meu meio século de profissão tenho trabalhado para “viciar” as pessoas em não contrair vícios. É uma questão condicionamento, de educação, de costume implantado. Quando proporcionamos um ambiente sadio e preleções esclarecedoras (jamais doutrinadoras), a tendência da maioria é a de incorporar esse hábito de cultivar a saúde, o bem-estar, a qualidade de vida, as boas relações humanas, a produtividade como um esporte, a responsabilidade social e ambiental como uma questão de honra. Essas pessoas não terão foco – nem tempo – para o vício.

Mesmo afastando-se do ambiente saudável do nosso Método, muitas delas levam consigo o patrimônio de bons costumes que lhes ensino e geralmente conseguem irradiá-los para dentro do seu círculo familiar. Algumas vezes, transmitem os bons hábitos até para os colegas de profissão e círculo de amizades. Dessa forma, ao reeducarmos uma pessoa, estaremos criando ondas de choque que reverberarão na sociedade conseguindo, assim, transformar o mundo.» 
Comendador DeRose,   in www.metododerose.org/blogdoderose



«Querido Mestre,
Que belo post! Tão exato ao descrever a natureza “viciada” do ser humano. E tão perfeito ao falar sobre prevenção versus remediação. Eu fui uma adolescente complicada, sempre buscando algo que eu não sabia o que era, e nessa busca me deparei com diversos tipos de vícios. Hoje tenho orgulho de já ter me livrado de vários deles, que considero os piores, e estar trabalhando em relação aos outros (ah o chocolate, ah o café!). E devo muito, demais a essa comunidade linda e saudável, onde finalmente eu me encontrei, e onde o “legal” é não se violentar com álcool, cigarro, drogas, entre outras tantas. Minha avó sempre dizia que tinha mania de não ter manias. Achei graça de ver que o senhor escreveu sobre ser viciado em não ter vícios! Quanto à prevenção, é a única saída para tantos conflitos e problemas atuais. Remediar, na esmagadora maioria das vezes, é mais difícil, mais caro e menos eficaz! Também é impressionante como a maioria desses problemas, inclusive de como prevenir tantas situações indesejáveis, tem sua raiz em uma palavrinha tão importante: educação. O senhor, ao nos apresentar o Método e o estilo de vida proposto, nos educa sobre os efeitos dos vícios e hábitos menos aconselháveis. E é também a educação que fará com que o motorista não corra, com que a pessoa não compre animais provenientes de tráfico, que entenda a importância de ecossistemas saudáveis, que respeite animais, ou que não vote em políticos corruptos…Um beijo imenso, com muito carinho, e muita alegria de ter encontrado o senhor no arraiá da Unidade Granja Viana!Juliana (Unidade Granja Viana).»

Querido Mestre,
Este post inspirado e inspirador, foi certeiro na importância que deve ser dada à educação, não só a usual, mas principalmente a comportamental, porque é ela que dita como o indivíduo vai viver e se posicionará na vida.
Assim se reforça como o exemplo é a forma mais poderosa de instalar comportamentos mais saudáveis naqueles que estão à nossa volta.
Devemos tornar este posicionamento como um rastilho que aceso, ateia muitos outros para uma visão mais brilhante, livre e aprazível da vida.
Beijos no coração,
António Pereira

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

A lucidez do Grande Leonardo Da Vinci

«Tempo virá em que os seres humanos se contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança de um animal inocente como hoje se julga o assassínio de um homem.» Leonardo Da Vinci

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Alargar horizontes, contra paradigmas

Ampliar horizontes é uma excelente maneira de derrubar paradigmas. Uma forma de promovermos essa abertura é viajar mais. Primeiro dentro do próprio país, por várias regiões diferentes. Depois começar a ir para outros países e culturas. Quanto mais diferente for a cultura, mais impacto tem na nossa visão da realidade de outros povos, dos seus hábitos e do mundo de uma forma mais global.

‎"É útil sabermos alguma coisa dos costumes de diferentes povos, a fim de julgarmos mais retamente os nossos e não pensarmos que tudo quanto se opõe aos nossos modos seja ridículo e contra a razão, como usam fazer os que nunca viram nada"- Descartes

Após essas constatações feitas pela experiência das viagens e conhecimento de pessoas de outros lugares, aprendemos a valorizar ainda mais aquilo que temos no nosso país e voltamos com outra cabeça, mais aberta, tolerante e predisposta a derrubar barreiras paradigmáticas que impedem a evolução.
António Pereira

sábado, 14 de janeiro de 2012

Vamos parar com esta tortura e horror!

Para quem ainda não percebeu

Para quem ainda não percebeu bem o que um não-carnívoro come e como a mudança de paradigma alimentar, não é mais do que uma opção pessoal, deixo aqui um pequeno filme explicativo e engraçado, sobre a "perseguição" ignorante que os carnívoros fazem a quem não come carnes.


Leia mais sobre o assunto e participe num Curso sobre a Alimentação preconizada pelo Método DeRose, realizados nas escolas que ensinam esta metodologia:
www.espaco-lifestyle.org
www.MetodoDeRose.org

Cuide melhor de si e do planeta!
António Pereira

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Como a maçã muda a nossa vida


Já se sabia desde o início da Humanidade que comer maçãs, mudava alguma coisa na nossa vida. Agora está confirmado que a maçã transforma muito a nossa vida, contribuindo para a tornar mais saudável e longa.

Por exemplo, beber dois copos de sumo de maçã por dia, ajudam bastante a regularizar o trato intestinal. Além disso, os laboratórios confirmaram que as fibras deste fruto baixam o colesterol e melhoram a digestão.

A somar a essas propriedades, a maçã reduz os radicais livres e torna as células do sistema nervoso resistentes às inflamações e é antienvelhecimento. É rica em vitamina C, antioxidantes e flavonóides, antitóxica e um revigorante cognitivo. 

A maçã também é um combustível mental, por fortalecer os neurotransmissores que estão ligados à percepção sensorial, à atenção e ao movimento. Este extraordinário fruto, também é profilático e terapêutico contribuindo para prevenir contra o gene da doença de Alzheimer e ao mesmo tempo reduz os sintomas de mal-estar em doentes mentais.

Coma e beba mais sumo de maçã, sem açúcar e de preferência que sejam nacionais, para poder manter-se mais jovem, saudável e cheio de energia.

Se adicionar esse costume a outros hábitos alimentares mais saudáveis, de comportamento e de exercício moderado, dará um contributo excelente para condicionar o seu organismo a viver mais tempo.

Ao conhecer melhor as Técnicas e Conceitos do Método DeRose, tem as ferramentas adequadas para produzir essas transformações de modo seguro e metabolizável.
António Pereira

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Existe...


Existe sempre uma hora, em que tudo aquilo, trazido por nós do passado, tem de ser solto como um lastro, para nos tornarmos mais leves e podermos ir mais alto e mais longe.

As amarras, são os medos com que nos fomos enredando ao longo da vida e que precisamos de cortar com decisão e lucidez, para desbravarmos novos horizontes e encontrarmos outros portos seguros que nos catapultarão para realizações inimagináveis por nós no presente.

Nessa altura de libertação, olharemos para trás e veremos como éramos tão embrulhados e como foi fácil, ir em frente, mesmo com algum receio por desbravar novos caminhos e conhecer novas pessoas, iremos conhecer-nos melhor a nós próprios.

Existe sempre uma hora, em que temos de ser nós na íntegra para podermos cumprir os nossos mais auspiciosos desígnios e nos realizarmos cada vez mais.
António Pereira

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Mude o mundo, comece por si!


Se cada um fizer um pequeno esforço para transformar as suas atitudes, mudará o mundo mais depressa. Claro que essa mudança não será rápida, por ser necessário metabolizar a incorporação desse novo Eu. Contudo, não é impossível basta querer e recorrer à metodologia adequada para gerar as transformações necessárias.

«A psicologia do indivíduo corresponde à psicologia das nações. As nações fazem exatamente o que cada um faz individualmente; e do modo como o indivíduo age a nação também agirá. Somente com a transformação da atitude do indivíduo é que começara a transformar-se a psicologia da nação. Até hoje, os grandes problemas da humanidade nunca foram resolvidos por decretos coletivos, mas somente pela renovação da atitude do indivíduo.» Carl Jung

Mude o mundo, comece por si é o lema do Método DeRose que disponibiliza Técnicas, que praticadas pelo aluno desta Cultura, lhe gera transformações orgânicas, emocionais, psíquicas e outras que renovam o indíviduo, tornando-o uma pessoa melhor e mais integrada consigo e com a sociedade onde está inserido.

Simultaneamente o praticante vai incorporando e aplicando os Conceitos comportamentais de ética, alimentação, relacionamento pessoal e social, entre outros, na sua forma de agir e de estar em sociedade, e pelo exemplo, torna-se um catalizador de transformação comportamental para todos aqueles que tomam contacto com ele, desde familiares, amigos, colegas, fornecedores, desconhecidos, etc.

Só desta forma se renova profundamente a atitude do indivíduo, consequentemente dos países e do mundo. Mude o mundo, comece por si!

Conheça melhor o Método DeRose, nos sites:
www.espaco-lifestyle.org
www.MetodoDeRose.org

domingo, 8 de janeiro de 2012

O mundo que preconizamos

Deixo aqui um pequeno filme, retirado do blogue do Comendador DeRose. A sua visualização  emocionou-me por sentir da mesma forma. 

Veja, sinta e vivencie com muita atenção este filme educativo. Incorpore na sua maneira de ser e de estar aquilo que é passado no filme.



Agora visualize-se a agir e a sentir desta maneira e mentalize que com o seu exemplo, como no filme, cativa outros e mais outros, a serem desta forma e a transformar o mundo pelo exemplo. 

Essa é a verdadeira e profunda revolução que está nas mãos de cada um e que o Método DeRose preconiza através da mudança do comportamento, por meio da prática das suas Técnicas e a aplicação dos seus Conceitos na vida.
António Pereira