quarta-feira, 21 de março de 2012

Dia Mundial da Poesia


Hoje 21 de Março, celebra-se o Dia Mundial da Poesia, o qual foi instituído pela XXX Conferência Geral da UNESCO, no dia 16 de Novembro de 1999, com o objectivo de estimular a leitura, escrita, publicação e ensino da poesia pelo mundo.

Para comemorar deixo aqui, dois pequenos poemas da minha autoria, que fazem parte do conteúdo do livro de poesia Momentos Marcantes, a publicar em breve:

Para Ti 

A Ti, que procuras 
O segredo da Vida. 

Entrego-te a Chave 
Do segredo do Sol. 

Porque Tu és 
O Sol da Vida!


Nos Ventos da Vida 

Nos ventos da Vida 
A memória penetra 
Nas pedras do tempo 
Onde a sabedoria 
Do imutável e permanente 
Vive intemporalmente 
Como símbolo 
Daquilo que os Homens 
Sabem preservar 
Da vaidade 
Dos factos passageiros 
Porque só o Tempo 
Esculpido pelo Amor 
Torna os feitos intemporais 
E imutáveis 
Na eternidade do Tempo.
António Pereira

Algo de Bom!

Para quem gosta de histórias interessantes, deixo aqui um pequeno filme que uma amiga especial me enviou.

«Numa terra vazia, ocorre uma história de amor.

Um homem e uma mulher procuram-se. Ela chama por ele. Ele segue-a. Ao longo de uma estrada, ele busca-a resoluto. O que os vai unir é o som das suas vozes a promessa de algo de bom.»


segunda-feira, 19 de março de 2012

Um sonho acordado

No mês passado, o Método DeRose - Espaço Lifestyle, organizou um Passeio Cultural que consistiu na visita à excelente exposição sobre Fernando Pessoa que se encontra na Fundação Calouste Gulbenkian.

No final acabámos por ficar à conversa e a comer nos jardins e inspirado por aquilo que tinha visto e lido, surgiu-me um texto que deixo aqui (escrito em 19/2/2012):

Acordo e não sei onde estou,
Sinto-me a dormir
Mesmo que vá por aí,
Nem sempre estou aqui.

Vivo em mínimos,
Por não saber onde estão
Os máximos sentidos.

Sinto que estou aqui,
Mas uma sensação nebulosa,
Faz-me sentir
Como num sonho, noutro lugar.

Quando saberemos onde estamos?
Quando sentiremos quem somos?
São questões e mais questões
Que nos mantêm
Acordados de um sonho,
De vida vivente,
Pulsante em sensações,
Em ser e estar aqui.

Seja lá onde estivermos
Saberemos que estamos vivos,
Mesmo que isso
Seja uma outra coisa.
António Pereira

Dia Mundial do Sono


O Dia Mundial do Sono, é assinalado anualmente no dia 16 de Março, pela World Association oh Sleep Medicine (WASM), com o intuito de levar a sociedade a compreender entender melhor esse ritmo vital ao bem-estar do ser humano, e tão mal entendido e conhecido pela sociedade actual.

A iniciativa desta comemoração tem também como fim alertar para os problemas do sono, como forma de prevenir e orientar o tratamento adequado das suas diversas desordens, como a insónia, bruxismo, movimento das pernas, apneia do sono, etc. 


Sabe-se hoje que a maioria das pessoas precisa de dormir entre 8 a 10 horas, mas também que existem pessoas que com 5 a 6 horas de sono conseguem restabelecer completamente as suas energias, através de um sono profundo e assim revitalizam o seu organismo.

Muitos dos problemas do sono, deve-se ao tipo de alimentação e bebidas ingeridas durante o dia e ao longo de algum tempo, assim como a questões emocionais ou psicológicas, stress, sedentarismo ou excesso de exercício, entre outras razões.

A prática de um estilo de vida saudável que promova o bem-estar e o autoconhecimento, como é o caso do Método DeRose contribui para prevenir e melhorar a qualidade do nosso sono.
António Pereira 

quarta-feira, 14 de março de 2012

Olhares de Nyása, no Porto, no último fim-de-semana


O último final de semana, no Porto, foi rico em experiências e aprendizagem. Na quinta-feira dei a Prática Avançada, na escola Método DeRose - Boavista, para instrutores e alunos recomendados pelo Diretor de cada escola. 

Na sexta, começaram as avaliações e revalidações da Federação do Método DeRose de Portugal e no sábado à noite, no Método DeRose - Campo Alegre, tivémos um excelente jantar indiano que antecedeu o Olhares de Nyása, onde tive como convidado o Prof. Eduardo Cirilo, Vice-Presidente da Federação do Método DeRose do nosso país e diretor da escola, Método DeRose - Antas.


Foi um serão animado e enriquecedor para todos os que participaram e assistiram que ficaram a conhecer melhor o convidado, o seu percurso profissional e também um pouco mais da História do Método DeRose em Portugal.
António Pereira

quarta-feira, 7 de março de 2012

Um Dia Especial, a não perder!

segunda-feira, 5 de março de 2012

DISSERTAÇÕES DE UMA NOITE!



Quando estou aqui, olhando tudo e todos, incluindo eu próprio, não sei quem sou, nem o que faço aqui. Somente sei que procuro saber essa verdade e discernir tudo aquilo que ainda não sei, sobre a razão das coisas e as questões que elas trazem embutidas em si.

Atrás de questões, virão respostas, mesmo ainda não sabidas, serão sentidas até serem vislumbradas. Há momentos em que temos mais questões e menos certezas, se bem que sintamos lá no fundo de nós, uma certeza que vem connosco desde sempre e resplandecerá quando cumprirmos aquilo que vimos aqui fazer. Para isso basta perder o medo e não nos acomodarmos na rotina da vida, porque o nosso desígnio é tornarmo-nos grandes como as estrelas, porque trazemos em nós o seu brilho, contido nas nossas células que são alimentadas pelo elo vital do Universo - a bio-energia – que tudo penetra e tudo impregna de vida.

Algumas vezes, se estivermos atentos, percebemos um pouco aquilo que somos e o que podemos vir a ser se tivermos a coragem e a força para fazermos um esforço sobre nós próprios e deixarmos de ser piegas connosco. Além desse ponto, encontraremos a nossa própria salvação e a razão de estarmos aqui, percepcionando muito mais do que julgaríamos ser capazes e tendo a capacidade de sermos receptivos ao que o Universo nos destinou para essa caminhada.

Por isso mesmo, existem alturas em que sentimos um vazio, uma solidão por estarmos connosco, mas essa mesma situação irá gerar a solução para encontrarmos um outro lado de nós, até aqui desconhecido e que nos mostrará outro leque de oportunidades e opções que estiveram sempre à nossa frente, mas que não víamos por estarmos cegos pela nossa acomodação e auto-comiseração.

Percebendo isto, tudo se torna mais leve e descomplicado e fluirá naturalmente pelos caminhos vindouros, mesmo que isso nos pareça sorte pura, não é mais do que um fenómeno de sincronicidade e de serandipismo antes não percepcionados por nós, mas que estiveram e estão sempre presentes nesta caminhada que designamos de vida.
António Pereira