domingo, 29 de julho de 2012

Quanto vale o seu trabalho?


Cada um precisa de se valorizar naquilo que faz, mas para isso precisa de saber o seu real valor e para quem deve direcionar o seu produto ou trabalho. Além disso, deve estar bem preparado e ter plena confiança e segurança na sua experiência, competência e excelência profissional. Só assim, pode ser avaliado pelo seu real valor e sentir-se plenamente valorizado pelos anos de estudo e de trabalho dedicado e abnegado.

Sobre este assunto existe uma história, que ilustra muito bem esta questão, publicada anteriormente no blogue do Comendador DeRose:

http://www.metododerose.org/blogdoderose/

Devido à sua importância, pensamos ser de interesse repetir a sua publicação neste blogue:

QUANTO VALE O SEU TRABALHO?

«Um discípulo procurou seu Mestre porque se sentia um inútil. Achava-se incompetente. No seu trabalho, não conseguia ganhar dinheiro. Seus clientes não pagavam o justo. Ele queria saber saber como poderia melhorar e o que devia fazer para que o valorizassem.

O Mestre, olhando-o firmemente, lhe disse:

– Antes de lhe responder quero que você cumpra uma missão.

Tirou do dedo um anel muito bonito e deu ao discípulo, recomendando:

– Vá até o mercado popular. Pergunte quanto dão por este anel . É importante que você consiga por ele o máximo, mas não aceite menos do que uma moeda de ouro.

O discípulo agarrou o anel e foi oferecê-lo aos mercadores da praça. Eram vendedores de frutas, comerciantes de tecidos, artesãos de cerâmica e lojistas de bugigangas. Eles olhavam com algum interesse, mas quando ele dizia o quanto pretendia por ele, desistiam.

Quando ele mencionava uma moeda de ouro, alguns riam, outros saíam sem ao menos olhar para ele. Somente um velhinho muito amável lhe explicou que uma moeda de ouro era muito valiosa para aquele anel. Que ele estava fora da realidade. Que devia cobrar o que as pessoas podiam pagar.

Abatido pelo fracasso, o discípulo retornou à presença do Mestre, informando-o de que o máximo que lhe ofereceram foram duas ou três moedas de prata. Ouro, nem pensar!

O Mestre respondeu que seria importante, então, saber o valor exato do anel. Sugeriu que o discípulo fosse ao joalheiro para uma avaliação adequada. E fez outra recomendação: não importa o valor que lhe ofereçam, não venda este anel.

O discípulo foi, um tanto desanimado, cumprir a missão dada pelo Mestre.

O joalheiro, depois de examinar com a jóia uma lupa, pesou-a e lhe disse:

– Diga ao seu Mestre que, se ele quiser vender agora, não posso lhe dar mais do que cinquenta e oito moedas de ouro.

O rapaz teve um sobressalto:

– CINQUENTA E OITO MOEDAS DE OURO?

– Sim, retornou o joalheiro. Eu sei que é pouco. Com tempo, eu poderia oferecer cerca de setenta. Mas, se a venda é urgente, não pago mais de sessenta e cinco moedas de ouro.

O discípulo recusou a oferta e voltou correndo para dar a boa notícia ao Mestre. Depois de ouvi-lo, o Mestre disse:

– Sente-se, meu rapaz. Seu trabalho é como este anel, uma jóia única e valiosa. Como toda jóia preciosa, somente pode ser avaliada por quem entende do assunto.
Por acaso você imaginou que qualquer um poderia descobrir o seu verdadeiro valor?

Tomando o anel das mãos do discípulo, tornou a colocá-lo no dedo, completando:

– Nosso trabalho é como esta jóia: muito valioso. No entanto, andamos a oferecê-lo a pessoas muito simples e que não têm nos seus valores de vida nem na sua cultura os recursos para compreender o quanto vale o nosso trabalho. A culpa não é dessas pessoas. É nossa, ao levar uma jóia preciosa, de ouro e diamantes, para oferecê-la a um público que só conhece e só compra bijuteria.»

Tire as suas conclusões e rectifique aquilo que eventualmente tenha de mudar, se quer obter outros resultados, mais de acordo com as suas expectativas e o seu real valor!
António Pereira

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Cada pessoa que passa...


Ao longo da vida, vamos conhecendo pessoas, umas mais intimamente, outras menos, outras com quem fazemos amizades, outras que simplesmente conhecemos e ‎outras que entram na nossa vida temporariamente só para nos acrescentar ou mostrar algo. 

Umas são mais marcantes devido a certas circunstâncias, outras adquirem uma importância intemporal, mas podemos dizer que todas são relevantes por nos trazerem algo e também por lhes acrescentarmos alguma coisa.

«Cada pessoa que passa na nossa vida, passa sozinha, é porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra! Cada pessoa que passa na nossa vida passa sozinha e não nos deixa só, porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso»    (Charles Chaplin )

Não existem acasos, no mínimo serão serendipias, o conhecer e encontrar certas pessoas na nossa vida, tornando-se a certeza de um fenómeno de riqueza humana, porque acrescentam sempre algo aos seus intervenientes.
António Pereira

Olhares de Nyása, com José Costa


Teremos dia 31 de Julho, às 22h, no Espaço Lifestyle, um novo Olhares de Nyása, desta vez com José Costa - Director de Comunicação e Marketing do World Bike Tour

Uma oportunidade para conhecer mais de perto este projeto que visa promover a mudança para um mundo melhor, cruzando-se assim, com a Cultura preconizada pelo Método DeRose! 

O Olhares de Nyása, é uma tertúlia cultural conduzida por mim, durante a qual conversamos de forma descontraída com o convidado, podendo o público também intervir com questões, de modo a conhecermos o seu percurso pessoal e profissional e fazermos uma ligação e identificação, entre saberes e condutas de vida que se entrelaçam com a Cultura do Método DeRose.

Desta forma, propomo-nos contribuir para inspirar outros a descobrirem dentro de si a força e o potencial que existe em cada um, para produzir as transformações necessárias para a sua realização pessoal e fazerem a diferença na sociedade. Conto contigo para engrandecer ainda mais este evento!

Participa e confirma a tua presença no Espaço Lifestyle, Av. Manuel da Maia, 50 - R/C Dto., em Lisboa, junto à Pç. de Londres, ou pelo telefone: 218 463 974, www.espaco-lifestyle.org 
 
www.MetodoDeRosePortugal.org (site das Escolas do Método DeRose, em Portugal)
António Pereira

terça-feira, 24 de julho de 2012

Convencer


Desde muito cedo, por ser da minha natureza ou por ter aprendido ao longo da vida, com os exemplos dados por pessoas que me foram e são especiais, ou pelas duas razões, nunca tive a intenção de querer convencer os outros, muito menos as pessoas que conviveram e convivem comigo intimamente.

Comunicar as minhas ideias, pensamentos, demonstrando com o exemplo na forma de ser e estar, é a melhor forma de se obter uma empatia das outras pessoas que vibram na mesma tónica e dessa maneira nos enriquecermos mutuamente. Essa é a melhor atitude!

«Aprendi a não tentar convencer ninguém. O trabalho de convencer é uma falta de respeito, é uma tentativa  de colonização do outro.» José Saramago (1922 - 2010)


Colonizar o outro é uma forma de querer controlá-lo por um convencimento forçado, que não vem pelo entendimento, mas pela obrigação e pelo forçar a opinião do outro. É uma maneira dissimulada de reprimir o livre pensar e vontade própria de cada indivíduo, coartando a sua dignidade e liberdade pessoal.

Existem Valores e Princípios pelos quais vale a pena lutar e defender até ao fim. Custa muito mais ser um Livre-Pensador, mas é também um sinal de maior responsabilidade, maturidade e crescimento como ser humano, além de nos e levar muito mais longe e, no mínimo, só por isso vale a pena!
António Pereira

sábado, 14 de julho de 2012

Ficções de uma noite


Aquela era uma noite igual a muitas outras, mas a brisa de Verão que soprava, parecia trazer sussurros de futuro que lhe ligavam os fios da alma, que se encontravam soltos fazia um tempo.

Uma vontade inexplicável de fazer algo ainda não conhecido, assomou por dentro de si, como um grito contido desde tempos remotos. Naquele canto deserto, junto ao rio, João inclinou-se e espreitou a noite estrelada. Nesse preciso momento, viu o rasgar luminoso da queda de uma estrela.

Lembrou-se de quando era criança e espreitava à noite, pela janela da casa-de-banho, o céu pontuado por aqueles pontos luminosos. Com sorte, conseguia ver um ou outro rasgo de luz, a marcar a sua entrada na atmosfera e nessa altura, questionava-se na sua ainda pequena experiência, se do outro lado, ou seja da estrela observada, alguém como ele olhava de uma janela e pensava o mesmo.

No meio de tanta imensidão cósmica, observar tanto brilho num manto escuro, dava uma sensação confortável de companhia, mesmo que não soubesse se além, nesse oceano se encontraria alguém como nós.

- Nunca se sabe! Nunca se sabe aquilo que podemos encontrar, por aí! - disse João para si. E pensou quantas vezes, episódios aparentemente sem sentido, nos ligam a outros e a situações inimagináveis e nos levam a outros lugares, preenchendo o vazio interno que cada um transporta dentro de si.

Uma aparente solidão, pode ser o primeiro passo para se estar acompanhado. Era o que o Universo lhe mostrava com tanto firmamento ao nosso redor. 

Pelo menos, enquanto não encontrasse uma resposta mais lúcida e concreta, poderia criar uma história à volta dessa frase, para contar às pessoas que fosse conhecendo e assim, gerar companhias e apagar solidões. 

Sorriu de uma forma peculiar e agradou-lhe a ideia de unir esforços e corpos catalisadores de vontades escondidas, para desabrochar o melhor de cada um, iluminando esses lugares profundos que habitam dentro de cada um, estimulando um sorriso de olhos brilhantes de satisfação e amor. 

Eram fluxos da noite, mas grandes verdades escondidas brotavam dos cantos escondidos da realidade. Agora, o melhor era pôr pés ao caminho e ir para casa dormir e sonhar com estrelas habitadas por mulheres doces, inspiradoras e sensuais.
António Pereira

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Curso "O Autoconhecimento nas Relações Humanas"


No dia 20 de Julho (sexta-feira), das 19 às 23 horas, darei no Espaço Lifestyle - Método DeRose, o Curso O Autoconhecimento nas Relações Humanas

Este Curso tem como proposta melhorar as relações humanas, por meio de um melhor conhecimento pessoal, desenvolvido pela prática e estudo das Técnicas e Conceitos do Método DeRose, como refere a sinopse de introdução do curso que se encontra abaixo.

«O autoconhecimento é o resultado da sabedoria acumulada pelas nossas experiências e vivências connosco, com as pessoas mais próximas, com a sociedade e com o mundo no geral. 

As Relações Humanas são parte integrante da vida em sociedade e um cartão de visita da forma como nos apresentamos e relacionamos com os outros. 

Encontramo-nos num processo de aprendizagem contínua – a vida – ao longo da qual nos vamos conhecendo cada vez melhor com os nossos erros e acertos, na relação connosco, com a nossa família, amigos, colegas de trabalho e sociedade. 

Através das Técnicas do Método DeRose, aprendemos a melhorar-nos como pessoas e a incorporar gradualmente na nossa vida os Conceitos desta Proposta Cultural, visando um aperfeiçoamento em todas as áreas de manifestação do Ser Humano. Desta forma refinamos o nosso comportamento e desenvolvermos cada vez mais Autoconhecimento. 

Uma das consequências do Autoconhecimento é a forma mais aperfeiçoada e carinhosa de nos relacionarmos com os outros, tornando-nos um exemplo de coerência desta Filosofia.»

Informações e inscrições sobre este curso, podem ser obtidas e efectuadas no:

Espaço Lifestyle - Método DeRose
Av. Manuel da Maia, 50 - R/C Dto., Lisboa (entre a Pç. de Londres e o Instituto Superior Técnico)
Tel.: 218 463 974  -  Tlm.: 917 192 985
Site: www.espaco-lifestyle.org
Facebook: Espaço Lifestyle - Método DeRose
António Pereira

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Momentos Marcantes, lançado no Espaço Lifestyle!


Na passada sexta-feira, dia 6 de Julho, no Espaço Lifestyle, em Lisboa, foi feito o lançamento e sessão de autógrafos do meu livro Momentos Marcantes.


Antes de uma pequena conversa sobre o livro e da sessão de autógrafos, o director dessa escola, o Prof. Eduardo Saldanha, fez uma breve apresentação do evento. Depois tivémos a apresentação de uma Coreografia do Método DeRose, executada pelo Prof. Bruno Amaral, director da escola de Telheiras. 


Foi bom rever caras amigas, colegas e amigos dos amigos. Espero que gostem do conteúdo do livro e que ele seja inspirador para os seus leitores, já que em termos gráficos ficou uma obra muito bonita. Obrigado a todos os que estiveram presentes!

O livro Momentos Marcantes encontra-se disponível nas livrarias e nas escolas Certificadas do Método DeRose e nas Credenciadas.

Os próximos lançamentos agendados serão em Setembro, em Lisboa e Porto e em Outubro, no Porto e Faro. Esteja atento às datas e locais, para poder participar e levar os seus amigos e familiares a conhecer este livro de poesia e o Método DeRose.

As fotos do evento encontram-se em: Espaço Lifestyle - Método DeRose
António Pereira

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Pare de reclamar e mude o seu mundo


Iniciei a leitura de um livro que comprei em tempos por curiosidade e por achar o tema pertinente. Por vários motivos, não tinha ainda conseguido começar a ler esta obra. Agora proporcionou-se pegar nele e começar a lê-lo de uma forma devoradora, ainda para mais com a recomendação determinada do Comendador DeRose. 

O mais interessante é que o seu conteúdo e forma de escrita leve e escorreita, surpreendeu-me pela positiva, tornando a sua leitura uma experiência extremamente enriquecedora e ao mesmo tempo, inspiradora de ideias para colocar num dos meus cursos.

Criada a curiosidade, o livro denomina-se Pare de Reclamar e Concentre-se nas Coisas Boas, de Will Bowen. A sua proposta é a de irradiar o vício da reclamação, através de um desafio de passar 21 dias, sem se queixar ou falar dos outros.   


«Reclamar é falar de coisas que você não quer, em vez de falar daquilo que você quer.»

«NOSSOS PENSAMENTOS CRIAM NOSSA VIDA, E NOSSAS PALAVRAS REVELAM O QUE PENSAMOS.»

«Você pode transformar o mundo simplesmente se tornando um exemplo de mudança positiva.»

«Nunca devemos duvidar que um pequeno grupo de cidadãos bem-intencionados e motivados pode mudar o mundo. De facto, essa é a única forma de fazê-lo.» Margaret Mead (antropóloga) Isto é Método DeRose!

«Mude o que anda dizendo. Pare de reclamar. Mude as palavras, mude os pensamentos e estará mudando a sua vida.» 

«Nossos pensamentos criam nosso mundo, e nossas palavras revelam o que pensamos. Ao controlar as palavras, eliminando a reclamação, damos um objectivo à nossa vida e atraímos o que desejamos.»

«O mais alto estágio da cultura moral é quando reconhecemos que precisamos controlar os nossos pensamentos.» Charles Darwin     in Pare de Reclamar e Concentre-se nas Coisas Boas, de Will Bowen

Recomendo assertivamente a leitura e releitura deste livro e a prática do exercício por ele proposto! Grandes mudanças no mundo de cada um de nós ocorrerão por esta tomada de consciência e alteração de comportamento. Através do nosso exemplo, irradiaremos para os outros, de uma forma motivante e inspiradora uma nova forma de estar na vida, com melhores resultados e maior satisfação pessoal e colectiva.
António Pereira