domingo, 3 de março de 2013

Autoavalie-se


Existem pessoas que acham que detêm o poder da verdade e que têm a certeza de tudo. Mesmo que queiramos ser amigos e demonstrar-lhes que devem ver e ouvir outros pontos de vista, serem mais tolerantes, compreensivas, porque a verdade depende da óptica e do ponto de vista de onde observamos e sentimos, não adianta pois ainda ficam ofendidas por pensarem que somos contra elas e ainda acham que nós é que estamos errados e obsoletos.

A isso se chama arrogância, autoritarismo e tendências ditatoriais, que só podem ser contrariadas com mais e melhor informação, distribuída por um maior número de pessoas que ao adquirirem conhecimento e cultura, elevam a sua consciência e a dos que os rodeiam pelo seu exemplo, valores e princípios de livres-pensadores, isolando os intolerantes, arrogantes e caudilhos de certas tendências de verdade única.

O texto abaixo, que me foi disponibilizado por um colega, ilustra um pouco essa ideia de alguém que pensa estar certo.

O LENÇOL SUJO 

Um casal, recém-casado, mudou-se para um bairro muito tranquilo. 

Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou através da janela numa vizinha que pendurava lençóis no estendal e comentou com o marido: 

- Que lençóis sujos ela está a pendurar no estendal! 

- Está a precisar de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas! 

O marido observou calado. 

Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no estendal e a mulher comentou com o marido: 

- A nossa vizinha continua a pendurar os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas! 

E assim, a cada dois ou três dias, a mulher repetia o seu discurso, enquanto a vizinha pendurava as suas roupas no estendal. 

Passado um tempo a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido: 

- Veja, ela aprendeu a lavar as roupas, será que outra vizinha ensinou? 

O marido calmamente respondeu: 

- Não, hoje eu levantei-me mais cedo e lavei os vidros da nossa janela! 

E assim é. 

Tudo depende da janela, através da qual observamos os factos. 

Antes de criticar, verifique se fez alguma coisa para contribuir, verifique os seus próprios defeitos e limitações. Olhe antes de tudo, para a sua própria casa, para dentro de si mesmo. 

Só assim poderemos ter noção do real valor dos nossos amigos.

Lave o seu vidro.

Abra a sua janela !!!

E boas reflexões, impulsionadoras de transformações pessoais positivas!
António Pereira

3 comentários:

Anónimo disse...

Gostei bastante do que li parabéns.Uma escrita simples mas que diz tudo!

Prof. António Pereira disse...

Obrigado por ter gostado do que leu e por ter visitado este blogue. Até uma próxima oportunidade!

Manuela Soares disse...

Um texto "bem limpo", transparente!
Vou reflectir e partilhar...
Obrigada pela partilha!
Manuela Soares