sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Persista!



Conquistar Conhecimento e Sabedoria ao longo da Vida que proporcione Realização pessoal, é um processo contínuo que requer Tempo, Estudo e Experiência de Vida.

Nesse sentido, o Yôga sendo uma Filosofia de Vida estritamente prática que visa o Autoconhecimento, tem uma série de ferramentas Técnicas, Conceituais e Comportamentais que nos impulsionam a reagir para sair da zona de conforto, desenvolvendo a nossa determinação para nos superarmos e irmos mais longe na perseguição das nossas metas, bem-estar e felicidade.

Por isso, quando a vida nos colocar dificuldades que nos fazem perder às vezes o ânimo, a motivação e ver em quase tudo dificuldades, se mergulharmos em nós, veremos como temos uma Força e um Poder interior que a prática e o estudo do Yôga potencializam e fazem desabrochar.

Portanto, não desista perante as dificuldades, mas antes persista! 

Vale a pena ir mais além e encontrar um Alto Rendimento interior que nos proporciona o Lifestyle que almejamos no nosso coração!

Nesse sentido, dentro do possível mantenha a sua prática de Yôga com a regularidade que puder, enquanto na vida aplica aquilo que tem aprendido para que sinta cada vez mais o bem-estar e as transformações que preconiza para si e participe em cursos sobre esta filosofia orientados por professores com formação adequada e experiência de tempo de prática, estudo e ensino.

Venha conhecer e praticar connosco um Yôga de Alto Rendimento e Recuperação e melhorar as suas capacidades.
António Pereira

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Renovação!


Renovar é preciso para evoluir e ir mais além do que é expectável, visando uma reestruturação interna e externa que crie as condições para suportar uma nova realidade e um novo ser e estar.

Porém, para se renovar há que se fazer um esforço sobre si próprio, no sentido duma auto-superação que nos liberte das ligações com o passado que ainda nos prende e não nos deixa fluir leve e livremente para novos caminhos da vida, rompendo com velhos paradigmas.

Talvez por isso mesmo, sejam atributos de Shiva, o Criador milenar do Yôga, as características de o Destruidor ou Renovador. Isso é bem interessante, porque essa filosofia prática indiana surgida no berço da civilização indiana há mais de 5.000 anos, gera como que uma destruição interna do ser que conhecemos, renovando-o intensa e profundamente, desde as células, até ao pensamento, emoções e comportamento.

Pelo menos assim se espera, se houver uma prática diligente das técnicas e dos preceitos filosóficos do Yôga, vai-se eliminado hábitos antigos (destruição) e reconstruindo (renovando) um novo ser, melhor e mais aperfeiçoado.

Neste aspecto, a destruição não tem de ser vista como algo negativo, mas antes como uma transformação/renovação/renascimento que leva a um maior progresso, a outros resultados mais promissores e mais de acordo com o novo ser.

No processo de renovação, vai-se descortinando melhor aquilo de que nos vamos libertando e percebendo como existe um Universo de realidades novas e diferentes que nos estavam vedadas pelas nossas limitações de paradigmas auto-impostas e sugeridos pelos que nos rodeava anteriormente.

Renovar é preciso para nos sentirmos mais Livres e Inspirados. Renove-se!
António Pereira

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Liberdade e Cultura


A Liberdade e a Cultura são os bens mais preciosos do ser humano, que o caracterizam como tal e como indivíduo com as suas particularidades. Esses dois bens são cada vez mais importantes para refutarem e confrontarem a falta de diversidade, imposta pela ideia de pensamento único tão disseminada nos tempos que correm e, alargarem horizontes, ampliando consciências e permitir que os sonhos se desenvolvam para se poderem concretizar.

Por isso faz ainda mais sentido, o que Bento de Jesus Caraça disse:

«Sem cultura, não pode haver liberdade e, sem liberdade, não pode haver cultura.» 

Quando se fala em cultura, não é somente a académica e que muitas vezes é elitizada, prendendo e não libertando, como se deseja que a cultura seja e trabalhe para tal. É a cultura que caracteriza os hábitos e características de um Povo; as experiência adquiridas e acumuladas ao longo da vida; os conhecimentos assimilados pelas viagens, por conhecer outras realidades, povos e culturas; as que a nossa curiosidade natural de aprender nos leva a aprender, etc., o ser cada vez mais um ser único e especial que se enriquece com a diversidade de cada um.

«A aquisição da cultura significa uma elevação constante, servida por um florescimento do que há de melhor no homem e por um desenvolvimento sempre crescente de todas as suas qualidades potenciais, consideradas do quádruplo ponto de vista: físico, intelectual, moral e artístico; a conquista da liberdade, a cultura integral do indivíduo.»

«Se não receio o erro, é porque estou sempre pronto a corrigi-lo.» Bento de Jesus Caraça

No mínimo incrível e ao mesmo tempo tão actual!
António Pereira

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Liberdade!


Rabingranath Tagore, grande poeta, romancista, músico e dramaturgo hindu, escreveu na sua obra Gitanjali: «A liberdade é tudo que quero, mas fico envergonhado de ter esperança de obtê-la.»

Porém, muitos pensam que esta procura pela Liberdade última, Môksha, é algo ultrapassado e antigo, só que isso não passa de uma meia verdade.

Segundo, Feuerstein, G., no seu A Tradição do Yoga, «a liberdade espiritual em si e sua busca são tão importantes e pertinentes nos dias de hoje quanto foram em qualquer outra época. O desejo de liberdade é um impulso atemporal, uma solicitude de todas as épocas. Nós queremos a liberdade, ou a felicidade perene, mas quase nunca reconhecemos a existência desse desejo profundo. Ele permanece sempre no nível de um programa inconsciente que nos motiva secretamente em todas as nossas realizações - da engenhosidade científica e tecnológica à criatividade artística, ao fervor religioso, aos desportos, à sexualidade, à vida social e, infelizmente, ao vício das drogas e do álcool. Em todas essas actividades, o que nós buscamos é a satisfação, a realização, felicidade.»

Contudo, concluímos que a felicidade assim alcançada é infelizmente efémera e nesse sentido vemos isso como um incentivo para continuar essa busca de auto-satisfação através de novos estímulos, entrando num ciclo vicioso que nos traz frustração, desânimo e depressão, porque a Verdadeira Liberdade, somente se alcança através de um trabalho interior de renovação e transformação.

Nessa procura de superação, a tradição cultural indiana deu à luz, há mais de 5.000 anos, o Yôga, essa fantástica filosofia de vida, possuidora de um leque de ferramentas psicossomáticas que levam o Ser Humano a essa Liberdade (Môksha), pela sua transcendência, através da ampliação da auto-consciência que gera por último, um estado expandido de consciência denominado samádhi (hiperconsciência, megalucidez).

Praticar e aprofundar os estudos sobre esta extraordinária filosofia prática que é o Yôga e outras filosofia indianas associadas a ela, como o Sámkhya, Tantra, Vêdanta, Brahmáchárya, levam-nos a um mergulho profundo na consciência humana e a encontrar meios para superar essa angústia existencial que em determinados momentos sentimos, uns mais do que outros.

Na realidade o Yôga só se detém sobre aquilo que é a «realização efectiva» e não com aquilo que é especulativo, pelo que podemos dizer que é o meio por excelência que contempla todos os meios e ferramentas a se usar para esse fim.

Podemos afirmar que todas as filosofias e metodologias de estilos de vida, desenvolvidos na Índia, têm um único propósito, levar-nos a sair da nossa zona de conforto de consciência ordinária para que encontremos a nossa identidade, ou seja a nossa união, com a Realidade última.

Esses métodos, como o Yôga, têm como meta libertar-nos dos condicionamentos convencionais e desse modo libertar-nos do sofrimento, o qual é fruto dos nossos condicionamentos inconscientes. Isto quer dizer que o Yôga nos leva à realização do Si Mesmo (Púrusha), ou seja vivenciar um estado de felicidade absoluta, além da ideia limitada que temos do estado de felicidade.

Feuerstein, G., diz-nos que «o Yôga, portanto, é a tecnologia do êxtase, da autotranscendência... o modo de interpretação e os meios de realização desse estado extático diferem de escola para escola.», pelo que daí advém uma certa confusão para o leigo ao ser confrontado com uma diversidade de metodologias diferentes que as várias escolas de Yôga utilizam, fora as deturpações que foram produzidas ao longo de mais de 5.000 anos de história que esta fantástica filosofia tem.

Porém, como afirmou o grande historiador e escritor Mircea Elíade, «o que caracteriza o Yôga não é somente o seu lado prático, mas também a sua estrutura iniciática.», pelo que cada vez mais se torna  necessário preservar essas características.

Por outro lado há que retirar o Yôga de um certo obscurantismo e exotismo que alguns profissionais e a imprensa o colocaram, por falta de estudo aprofundado e sério, o que se manifesta num posicionamento consumista despropositado e inadequado aos nobres Princípios e Valores deste Património Cultural da Humanidade.

Fica aqui o desafio para conhecer e experimentar um Yôga Tradicional e genuíno, num estudo e prática profunda de transformação e ampliação da consciência humana. 


Contamos com a sua visita e/ou contacto!
António Pereira

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Publicação de artigo

O artigo «A Importância da Respiração» que publiquei aqui no blogue e que está partilhado no site da minha escola: www.lifestylealtorendimento.com, foi também publicado no site NauZero e no Portal Nacional dos Munícipios e Freguesias. 

Entre e deixe o seu comentário. Obrigado!
António Pereira

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Uma beleza fresca


A tua beleza fresca corre pelos pensamentos da noite e os teus olhos de luz clara e límpida encantam-se com o silêncio desta que te contempla e escuta. Toda a vida flui em teu corpo, num coração genuíno de pureza carregada de sonhos para realizar.

Uma simplicidade que só os puros carregam no seu coração, toca o ambiente com uma energia jovial e alegre, em que tudo parece estar em sintonia com o Universo. Somente podemos percepcionar o que te vai na Alma, cheia de alegria e determinação em realizar tudo o que carregas de profundo na intensidade do teu Ser.

Palavras, sentimentos, sensações em conversas fluídas fazes sentir e sentes, mostrando-o com um sorriso e um olhar maroto de jovem que agarra a vida com todos os sentidos e com tudo o que tem.

Uma pureza flui por mim, carregando-me dessa energia sonhadora que tem a força da realização dos impossíveis! 

Uma beleza fresca corre pelos pensamentos da noite que são os meus, ao observar o céu estrelado de possíveis caminhos a trilhar por esta experiência fantástica que é a vida e me faz sentir ligado e unido a todos os que estão perto e os que estão longe ou distantes, com uma frescura bela a soprar arejando a minha Alma de ligações com o Passado, porque na realidade estamos somente aqui, neste lugar, neste ponto, onde tudo converge.

Uma beleza fresca, inspira tudo!
António Pereira

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Fazem 13 anos de uma outra vida!

Há 13 anos atrás, passeei por um Oceano, em que nem toda a gente vai e volta. Este dia 26 de janeiro, é marcante na minha vida! Na realidade é o marco de início de uma outra vida, em que um acumular de experiências e vivências vem ter a este momento, de recomeço, de renovação da vida.

Esse dia ficou marcado em mim e em todos os que estiveram comigo nessa altura, aos quais agradeço e não esqueço a dívida de gratidão pelos actos de amor e amizade que tiveram comigo, mesmo que alguns estejam mais distantes física e emocionalmente.

Hoje são 13 anos de uma nova vida! Uma vida observada, vivida e sentida de uma outra forma. Uma vida que pode ser tudo aquilo que eu queira construir e realizar.

Agradeço à vida e ao Universo estes 13 anos de novas experiências e oportunidades e por muitas mais décadas de realizações, felicidade e autoconhecimento. Obrigado!
António Pereira

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Reflexões inspiradoras do melhor do mundo para se obter Alto Rendimento!


O melhor futebolista do mundo Cristiano Ronaldo, numa entrevista dada ao Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, fala de vários aspectos interessantes sobre a vida, trabalho, disciplina, regras, talento, profissionalismo, dedicação, empenho, solidariedade, resiliência, objectivos, divertimento, do alto rendimento a ser desenvolvido na vida para que o talento natural de cada pessoa possa ser alcançado e concretizado, e como os portugueses deveriam acreditar mais em si e nas suas qualidades e capacidades. 


Reflexões inspiradoras do melhor futebolista do mundo para se obter Alto Rendimento em tudo aquilo a que nos dedicamos para podermos usufruir de um Lifestyle!

O Treino Desportivo de Alto Rendimento, é o que os desportistas de topo como Cristiano Ronaldo são submetidos, para poderem competir ao mais alto nível e levarem as suas capacidades ao seu potencial máximo.

Os que não seguem determinados critérios são com o tempo excluídos, porque só os melhores podem estar e competir nesse patamar. Por isso mesmo, todas as características que na entrevista Ronaldo aborda, fazem dele um fenómeno e o melhor do mundo como futebolista e atleta.

Porém, aquilo que se aprende no desporto de alto rendimento, pode e deve ser aprendido e estendido para a vida diária, particularmente das empresas, dos empresários, profissionais liberais e dos estudantes universitários, para se trabalhar as capacidades de cada indivíduo e levá-lo ao seu melhor, a obter um alto rendimento em tudo aquilo que faz e a ser um melhor ser humano.

Nesse sentido, as técnicas e a filosofia do Yôga Antigo que ensinamos no Lifestyle Alto Rendimento, potencializam todas as capacidades dos seus praticantes, ao mesmo tempo que contagiam todos aqueles que com eles convivem, pelo seu exemplo de postura social e pela boa disposição e serenidade emanadas por cada praticante do Lifestyle Alto Rendimento!
António Pereira

Conheça mais sobre o nosso trabalho e marque uma visita e/ou uma aula experimental:


segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

A importância da respiração!


Talvez ainda não tenha pensado a sério, sobre a importância da respiração, tendo em consideração que o ar é o nosso principal alimento, pelo simples facto de que sem ele não viveríamos muitos minutos e porque nascemos com a nossa primeira respiração e partiremos desta vida, quando exalarmos pela última vez.

A respiração é tão importante que consoante as nossas actividades, respiramos de uma forma diferente conforme cada função. Por exemplo, quando corremos respiramos de uma maneira e quando estamos sentados de outra forma, além de que a nossa respiração de vigília é muito diferente daquela que temos durante o sono.

Através da observação e experimentação os antigos Yôgis, na Índia milenar, verificaram as correlações subtis entre a respiração e as nossas actividades físicas, emocionais e psíquicas. Isto é, a pessoa ansiosa respira de um modo completamente diferente, da que está encolerizada e por conseguinte a que se sente feliz, respira de outro modo, da que é neurótica.

Por isso, para o Yôga, ao observarmos a forma como uma pessoa respira, podemos saber como ela está física, emocional e psiquicamente.

Na antiga Índia, os Yôgis estudaram as características da respiração, desde a sua extensão, ritmo, duração, amplitude, centro de gravidade, etc.

Descobrir qual é o comprimento da nossa respiração, é importante para percebermos como respiramos. Porém, como se mede de uma forma simples o comprimento da nossa respiração? A forma mais simples, é por exemplo, humedecer ligeiramente a palma da mão e colocá-la virada para cima, por debaixo das nossas narinas.

Então vamos testar o comprimento da nossa respiração. Durante a expiração, o nosso foco deve estar no ar projectado na palma da mão e sensação de frescura que este provoca. Comece por colocar a palma da mão a uma certa distância, até sentir a corrente de ar. Desta forma, mede o comprimento aproximado da respiração, pela distância a que a palma da mão se encontra.

À medida que expira, vá afastando aos poucos a sua mão até ao ponto onde deixar de sentir o ar na palma e essa será a medida máxima de alcance da sua respiração. Outra possibilidade, talvez mais precisa, será a de usar um pedaço de algodão suspenso por um cordel, colocando-o por debaixo das narinas e afastá-lo progressivamente até ficar imóvel.

No Gheranta Samhita, um dos tratados clássicos do Yôga, refere que se deve diminuir progressivamente o comprimento natural da corrente expirada, porque desse modo aumenta-se a vitalidade e o contrário reduz esta.

Os antigos sábios da Índia, os Rishis, também mencionam o facto de que quanto mais estivermos concentrados, mais curta a respiração se efectua, assim como no estado expandido de consciência, denominado samádhi, o qual constitui a meta do Yôga, a respiração é praticamente imperceptível.

Por isso, os Yôgis recomendam uma respiração consciente, lenta, profunda, nasal, silenciosa e abdominal ou completa, em que progressivamente diminuímos o seu comprimento, para dessa forma ampliar a nossa concentração.

Como o Yôga é uma filosofia prática, vamos agora treinar, de uma forma simples, aquilo que aprendemos ao longo deste texto sobre a respiração. Desse modo, sente-se com as costas direitas, com a cabeça bem posicionada no alongamento natural da coluna e tome consciência da sua respiração. 

Respire simplesmente, em silêncio, mas de forma consciente, profunda, suave e sinta o ar entrar pelas narinas, passar pela laringe, traqueia e brônquios. Depois expire lenta, profunda, doce e silenciosamente, com menos comprimento na duração desta. Concentre-se! Não se distraia! Continue o exercício durante algum tempo.

Por agora ficamos por aqui. Numa próxima vez, aprenderemos a usar as três faixas pulmonares isoladamente e em conjunto, que caracterizam a respiração yôgi e como utilizar a respiração para objectivos diversos. 

Pratique aquilo que aprendeu ao ler este texto para que se torne naturalmente, com o tempo de prática e treino, parte integrante da sua forma espontânea de respirar e lhe proporcione Lifestyle Alto Rendimento naquilo a que se dedica!
António Pereira

Para aprofundar o conhecimento prático e teórico sobre a respiração e o Yôga Antigo, visite-nos em Lisboa:

Lifestyle Alto Rendimento - Prof. António Pereira
Av. Manuel da Maia, 50 - R/C - Dto. (Pç. Londres)
Tel. 218 463 974