quinta-feira, 20 de abril de 2017

Reflexões...


Há momentos em que a Vida nos coloca obstáculos e desafios para sairmos da zona de conforto e alcançarmos aquilo que realmente necessitamos e que muitas vezes, não tem nada a ver com o que queremos e nesse sentido a atitude deverá ser de aceitação, que é diferente de resignação. 

Deste modo, sendo o Yoga uma filosofia de vida, apresenta-nos formas de nos colocar à prova e ao mesmo tempo maneiras para nos podermos superar e alcançarmos aquilo que temos de ser, mesmo que isso nos leve algumas vezes a "cair" e a desmotivar-nos gera em nós a força interior para nos levantarmos e irmos à luta para conquistarmos o que a vida nos reserva.

Há milhares de anos que os Mestres e Sábios indianos da antiguidade, quando formularam o Yoga, criaram um Código de Ética constituído por dez normas que se relacionam com as limitações e dificuldades do carácter humanos e são assim num processo de auto-avaliação e auto-conhecimento um alerta para nos melhorarmos.

Uma dessas normas éticas, tápas, pode significar auto-superação, sobre a qual podemos dizer que é a base de todo o nosso progresso como seres humanos, no sentido de irmos encontrar forças dentro de nós que nos permitam ir muito mais além do que julgávamos.

Esta norma fala-nos da natural instabilidade que de vez em quando se instala em cada um e surge como um alerta para que encontremos em nós, a força interior que nos permite superar-nos e ir mais além para alcançar os nossos objectivos.

Tudo isto para dizer que é natural, no processo da prática e estudo do Yoga, andarmos para a frente e para trás e irmos mais para a frente quando persistimos e superamos as nossas limitações. 

Há momentos que em estamos extremamente motivados e vemos grandes progressos e há momentos em que parece que recuamos e somos mais irregulares e temos mais dificuldade em manter a nossa prática regular e alcançarmos o progresso que pretendemos, por causa dos desafios que a Vida e o Yoga nos colocam.

Todavia, para vencer e progredir é necessário auto-superarmo-nos para atingir a vitória desejada e chegar mais além no Yoga e no nosso Auto-Conhecimento! 

Concluindo, persista na sua prática de Yoga e lanço aqui o desafio para treinar diariamente 1 minuto de meditação, com concentração na sua própria respiração e aos poucos aumente para 5 m. a 10m. de cada vez!
António Pereira

domingo, 2 de abril de 2017

RENOVAÇÃO!


Estamos na Primavera, época em que a Natureza inicia um novo ciclo, o da renovação e como tal é uma boa época para renovarmos as nossas energias em sintonia com a Mãe Natureza.

A Renovação é associada ao Yoga, por intermédio de Shiva, um bailarino que há mais de 5.000 anos na antiga Índia criou o Yoga e a quem se atribuiu os conceitos de Destruidor e Renovador, tal como a Natureza nos seus ciclos destrói para depois renascer mais renovada, assim esse bailarino fazia na sua dança cósmica com a destruição e renovação do Universo. 

Na realidade não é mais do que a representação dos ciclos da vida, os quais estão relacionados com a mudança perpétua que caracteriza esta, com a constante destruição de algo que é passado e não interessa mais para gerar a renovação e abrir um outro novo ciclo mais promissor.

Por isso, o Yoga uma filosofia de vida que através da prática de um conjunto de técnicas que visa um estado expandido de consciência, o samádhi ou hiperconsciência, conhecido como Autoconhecimento, é considerado o método de excelência de Renovação física, energética, emocional e mental do Ser Humano.

Para poder aprender mais e aprofundar os seus conhecimentos teóricos e práticos sobre o Yoga e o Lifestyle numa perspectiva técnica e científica, alicerçada na tradição milenar que esta filosofia  ensina, fica o convite para vir conhecer o nosso trabalho e participar nas aulas de Yoga e Cursos de Lifestyle que realizamos no nosso Centro https://www.antoniopereirayoga.com/pt

Até breve!
António Pereira

sexta-feira, 3 de março de 2017

Março, mês da Primavera!

Março é o mês da Primavera, época de renovação da Natureza e como tal uma boa época para adoptar novos hábitos de vida que sejam mais saudáveis. 

É um excelente mês para finalmente começar a sua prática de Yoga connosco, ainda para mais com a fantástica Campanha que temos em vigor durante este mês:


Não perca esta excelente oportunidade e comece já!
António Pereira

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Quando se fala de Yoga


Cada vez se fala mais sobre Yoga, mas infelizmente a maioria das vezes sem se ter um conhecimento adequado, ficando-se pela superficialidade e pelos aspectos mais estereotipados e consumistas que podem cativar mais um certo público e afastar um outro tipo de pessoas.

Por isso quando falamos de Yoga, o conceito acerca desta filosofia de vida remete-nos para um espectro extremamente vasto de conceitos filosóficos, dos quais resultam vários tipos de Yoga. Cada modalidade de Yoga desenvolve mais certas capacidades humanas, por isso cada pessoa, de acordo com o seu carácter pode ter mais empatia com um certo tipo de Yoga, em vez de outro, dependendo das suas aspirações, objectivos e potencialidades, ou ainda utilizar uma combinação adequada de várias técnicas de Yoga (Michael, 1978). 

Assim, devemos ter em conta a época histórica em que surgiram essas modalidades de Yoga e consequentemente as suas bases filosóficas comportamentais e especulativas pelo facto de que elas nos podem apresentar aspectos e conceitos antagónicos na forma de entender esta filosofia de vida.

Se bem que as técnicas possam ser as mesmas, a forma de as executar e entender e a metodologia e pedagogia na maneira de ensinar serão com certeza diferentes e consequentemente irão atrair mais certo tipo de pessoas e afastar outras.

Nesse sentido, podemos dizer que existe uma modalidade mais adequada a cada pessoa e dentro dessa modalidade terá de se levar em conta também a escola e o professor que orienta, tendo em consideração a sua formação e a empatia que se possa desenvolver com este.

Fora esse amplo espectro de diversidade de escolas com fundamentações diversas, ainda existem hoje em dia infelizmente algumas modalidades que usam o nome Yoga, mas que formalmente não poderemos considerar que o sejam pelo facto de não levarem à proposta desta filosofia e ficarem somente por aspectos técnicos muitas vezes adaptados e caricatos para produzirem uma novidade e certos resultados mais superficiais.

Concluindo, é importante ter conhecimento desta diversidade para não colocar tudo no "mesmo saco", como popularmente se diz e perceber as diferenças, a autenticidade, a experiência, a metodologia, a formação e a orientação do trabalho de uma escola ou dos seus profissionais.

No nosso caso, fruto de uma experiência de 4 décadas de estudo, prática e ensino do Yoga Antigo, na modalidade do SwáSthya Yoga e de outras modalidades, aliado aos recursos científicos mais actuais e à minha formação académica como Mestre em Treino Desportivo e Doutorando em Educação Física e Desporto, passámos a desenvolver um trabalho em que utilizamos todos os recursos técnicos do Yoga, fundamentado numa visão ancestral, naturalista, científica e que tem em consideração a liberdade e o livre-arbítrio do indivíduo para podermos ensinar e direccionar o Yoga para os objectivos que sejam delineados previamente ou no momento e incrementar na vida do praticante um lifestyle coerente com o Yoga.

Este foi o primeiro de uma série de artigos sobre Yoga, Lifestyle, Alto Rendimento, Recuperação, Bem-Estar, entre outras temáticas, pelo que numa próxima publicação, falaremos sobre a definição formal do que é o Yoga e a proposta desta fascinante filosofia de origem indiana!

Caso tenha interesse em conhecer melhor o nosso trabalho, entre em contacto connosco pelo link: http://www.antoniopereirayoga.com/pt/yogalisboa

Pereira, A., (2016). Recuperação Psicológica e Física de Nadadores Através do Yoga: Efeitos no Bem-Estar. Dissertação de Mestrado em Treino Desportivo de Alto Rendimento, Faculdade de Educação Física e Desporto da Universidade Lusófona, Novembro 2016.
António Pereira